Comissão da Aleam realiza Audiência Pública sobre crimes cibernéticos - Fato Amazônico

Comissão da Aleam realiza Audiência Pública sobre crimes cibernéticos

A Comissão de Jovens, Crianças e Adolescentes da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizou nesta segunda-feira (28) uma audiência pública sobre o uso indevido da internet por meninas e meninos no Estado e crimes cibernéticos contra eles. Segundo o deputado estadual Carlos Alberto (PRB), presidente da referida comissão, várias situações estão acontecendo pelo meio virtual, onde as principais vítimas são a faixa etária infanto-juvenil.

“Problemas como a pornografia, exploração sexual e divulgação imprópria da imagem de crianças e jovens foram amplamente debatidos nessa importante audiência pública. O evento é importante, pois nele buscamos alternativas e soluções para diminuirmos esse tipo de situação na nossa sociedade. Os pais sempre devem ficar sempre atentos e ver o que os filhos fazem na internet. Em outubro a nossa comissão fará outra audiência aqui na Casa Legislativa”, destacou o parlamentar.

A investigadora da Polícia Civil do Amazonas Luciana Tribuzy, da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA) também ressaltou que a família deve ficar atenta e ver o que as crianças fazem na internet. De acordo com a agente policial, o uso de aplicativos que inibem a visualização de conteúdos impróprios para crianças e adolescentes pode ser uma solução para crimes no mundo virtual.

Conforme a titular da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Graça Prola, tem que existir um regramento e tem que haver mais rigor para os crimes cibernéticos contra crianças e adolescentes no Amazonas. “Esta Casa Legislativa poderia propor uma audiência pública para que pudesse sair uma regulamentação mais rígida para esse tipo de situação. Uma grande campanha se faz necessário principalmente contra o suicídio no jogo Baleia Azul. Mesmo por curiosidade, crianças e adolescentes embarcam nessa proposta. Tudo isso é prioritário de nós combatermos, inclusive os crimes sexuais”, disse a secretária.

Durante o evento participaram representantes da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Aldeia SOS, psicólogos, Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), conselhos estadual e municipal dos direitos da criança e do adolescente, estudantes do colégio Pró-Menor Dom Bosco, dentre outras autoridades.