Como lidar com o Bullying: para pais e responsáveis! - Fato Amazônico




Como lidar com o Bullying: para pais e responsáveis!

Sem dúvida alguma o Bullying é um dos principais temas nas conversas entre pais, professores e diversos profissionais no dia a dia de milhares de escolas e instituições de ensino.

Desde o estabelecimento do conceito, as reclamações de muitas crianças e adolescentes tem se tornado importantes pistas na hora de identificar o que ultrapassa o comportamento aceitável entre colegas.
Mas e você, sabe como lidar com tudo isso? Nós separamos diversas dicas e classificações para te ajudar a entender até onde interferir diante de algumas situações:
O que é Bullying?
Bullying é humilhar e/ou perseguir uma pessoa por um longo espaço de tempo. Insultar, agredir, espalhar rumores em qualquer meio social. Caso isso aconteça na web ou outros meios tecnológicos a denominação passa a ser Cyberbullying.
Há uma diferença notável entre piadas, brincadeiras e o ato intencional de ofender ou magoar. É importante checar estes fatores antes de tomar qualquer conclusão. Mas conflitos em geral tendem a se agravar e gerar um ambiente instável, logo, toda alteração em uma rotina tranquila deve ser verificada.
Como identificar?
Existem alguns casos em que as vítimas acabam não relatando os acontecimentos. Veja alguns sintomas que podem denunciar o assédio:
– Baixa autoestima e autoimagem negativa.
– Queda no rendimento escolar.
– Problemas de saúde sem causa aparente.
– Sono leve e pesadelos.
– Fobia de ir à escola ou realizar atividades relacionadas.
O que fazer?
– Encoraje seu filho (a) a descrever os fatos da forma mais detalhada possível. Não se esqueça de perguntar sobre as pessoas que presenciaram as agressões e que podem ajudar. Parabenize também pela iniciativa de compartilhar todo o ocorrido.
– Controle suas emoções diante dos relatos. É importante demonstrar calma e não incentivar qualquer reação violenta ou represália para “dar o troco”.
– Comunique-se com a escola e os responsáveis docentes para que o assunto seja tratado seriamente. Exija um acompanhamento diário e medidas preventivas para que outros casos não ocorram ou voltem a se repetir.
Manter diálogos abertos com bastante liberdade para tratar todo e qualquer assunto, e extinguir qualquer dúvida de que seus filhos podem contar com você são os primeiros passos para lidar com essas novas diretrizes da educação. O respeito e outros valores importantes também devem ser estimulados.
Toda criança, jovem ou adulto tem direito a uma vida acadêmica saudável, e a construção e o desenvolvimento disso começa em casa.