Conceição Sampaio firma posições e defende projeto que muda preventivo de câncer uterino - Fato Amazônico

Conceição Sampaio firma posições e defende projeto que muda preventivo de câncer uterino

Em um discurso de 28 minutos na tarde desta terça-feira, 14, no Plenário da Câmara dos Deputados, a deputada federal Conceição Sampaio (PP/AM) defendeu suas posições sobre temas como a chamada “PEC dos Apóstolos” e a redução da Maioridade Penal e defendeu seu projeto de alteração no método de diagnóstico dos exames preventivos de câncer uterino, para a técnica conhecida como citologia em meio líquido com automatização.

A parlamentar iniciou seu discurso registrando a realização da convenção do Partido Progressista, na manhã de ontem, quando o senador Ciro Nogueira (PP-PI) foi reconduzido à presidência do PP. Em seguida, disse que se sentiu honrada em ter assinado a chamada PEC dos Apóstolos (PEC 12/2015), justificando sua assinatura, para permitir a tramitação da PEC. “Como cristã que sou, tenho a convicção de que todo o poder é de Deus, sim.

Mas, na Constituição de 1988, certamente, o Legislador desta Casa, o Constituinte de 1988, quando ali na letra da Constituição, colocou que todo poder emana do povo, estavam se referindo ao Estado de democracia representativa ou indireta. Neste caso, certamente, todo poder, o poder do voto vem do povo, sim”, assegurou. Conceição acrescentou que isso não afeta a questão do laicismo do Estado, mas que faz questão de manter suas posições e defender o que acredita, como cristã que é.

“Eu quero deixar muito claro aqui aos colegas Parlamentares, com que irei conviver, durante os próximos quatro anos, que o cristão entra na política com a sua roupa de cristão. Eu jamais deixarei a minha roupa de cristã do lado de fora, para entrar neste plenário. Então, é com essa posição que com certeza levarei o mandato outorgado pelo povo do meu Estado, mas, certamente, com as mãos potentes de Deus sobre a minha vida”, disse.

Emocionado, o autor da PEC 12/2015, deputado Cabo Daciolo (PSOL-RJ), em aparte, agradeceu a fala da deputada dizendo de sua alegria com a fala de Conceição.

“Nesse exato momento, eu contemplo festa nos céus. Obrigado, Deputada. A PEC 12 está, neste exato momento, na CCJC, com o seu presidente, deputado Arthur Lira, aguardando a designação de um Relator”, explicou Daciolo.

Maioridade penal

Em seguida, Conceição passou a falar sobre temas como a redução da maioridade penal, que deverá ser votado em breve pela Câmara dos Deputados e que vem provocando muitas discussões, entre os que são a favor e os que são contrários à medida. Para a parlamentar, durante muito tempo o Brasil questionou a motivação que levaria a reduzir a idade do adolescente para que ele saísse da condição de inimputável para imputável.

Eu verdadeiramente sei que 90% da população, quando diz: Eu quero que se reduza a idade penal, está pensando na falta de segurança no Estado brasileiro”, disse, acrescentando que “infelizmente, os Governos — não quero aqui generalizar, mas quase todos eles — não tiveram condições de oferecer para cada homem e para cada mulher, a segurança pública prevista na Carta Maior do nosso País. Isso faz com que as pessoas se revoltem. Elas querem ter a certeza de que vão sair de suas casas e voltarão com vida. Mas não é isso o que nós estamos vivenciando na realidade. Um pai de família sai e nem sempre volta com vida, porque é atacado na esquina de sua casa”, disse.

O discurso da deputada recebeu apartes dos deputados Esperidião Amin (PP/SC), Mauro Pereira ( PMDB/RS ), Marcelo Belinati ( PP/PR ), Moroni Torgan ( DEM/CE ), Gilberto Nascimento ( PSC/SP), Júlio César (PSD/PI), Odelmo Leão (PP/MG) e Marcos Rotta (PMDB/AM), que elogiaram os posicionamentos da deputada.

“Eu fiz questão de não ser o primeiro a lhe pedir um aparte exatamente para não influenciar nossos companheiros em Plenário. Eu fico muito alegre, muito satisfeito, em ver já, apesar do pouco tempo de V.Exa. nesta Casa, o reconhecimento dos seus pares com relação à sua postura, à sua sensibilidade, à sua maneira de interagir dentro do Parlamento Federal”, afirmou Rotta, acrescentando que prevê, para Conceição, no Parlamento Federal, o mesmo destaque que teve em dois mandatos como deputada estadual na Assembleia Legislativa do Amazonas.

“É muito bom, é muito salutar, que nós tenhamos nesta Casa pessoas com o perfil e o posicionamento de V.Exa. sempre em defesa de Manaus, do Amazonas e do Brasil”, concluiu Rotta.

Câncer de colo de útero

A deputada Conceição Sampaio usou a última parte de seu discurso para solicitar aos demais deputados apoio ao seu projeto que obrigará o Sistema Único de Saúde a oferecer o diagnóstico dos exames preventivos de câncer de colo uterino, por meio da Citologia em Meio Líquido com Automação, um método mais moderno, mais rápido e mais eficaz para o diagnóstico do câncer de colo de útero, explicou a parlamentar.

“Em relação ao câncer de colo de útero, graças à defesa feita pela Dra. Mônica Bandeira de Melo, o próprio Amazonas foi protagonista quando levou para a rede pública a vacina para imunização contra o HPV, tornando o Amazonas um dos primeiros Estados deste País a oferecer de graça às meninas de 11 a 13 anos essa vacina. Nós vamos salvar, portanto, uma futura geração de mulheres, mas nós precisamos investir nas mulheres de hoje também”, disse Conceição.

“Estamos apresentando uma solicitação ao Ministério da Saúde para melhorar os preventivos, principalmente no interior do nosso País, no interior do nosso Estado. No Amazonas, muitos preventivos, quando chegam à nossa capital, estão comprometidos, estão com as lâminas ressecadas e comprometidas, colocando em risco a vida das mulheres, não permitindo um diagnóstico preciso. Nós queremos adotar pelo SUS a citologia em meio líquido, uma maneira eficiente e eficaz de fazer com que de fato não haja dúvida na leitura final dos preventivos. Neste sentido, dei entrada em um requerimento ao Ministério da Saúde, para a adoção do método”, concluiu.

Independente da indicação ao Ministério da Saúde, Conceição Sampaio destinou R$ 3,4 milhões em recursos ao Estado do Amazonas, por maio de emenda parlamentar ao Orçamento da União, para dar início à implantação da Citologia em Meio Líquido no Estado.