Conceito de sustentabilidade e reuso de materiais descartados servem de base para estrutura de exposição na 17ª Conescap - Fato Amazônico

Conceito de sustentabilidade e reuso de materiais descartados servem de base para estrutura de exposição na 17ª Conescap

No próximo dia 15 (quarta-feira), inicia a 17ª Convenção Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Conescap), um importante acontecimento que vai movimentar o Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques até dia 17 de novembro.
 
Seguindo a meta de consolidar o Amazonas na rota nacional do turismo de eventos, o Governo do Estado, por meio da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur), está contribuindo com o conceito da convenção “Superação: Construindo soluções de sustentabilidade para o Brasil” e participando com o projeto Artesanato Sustentável do Amazonas que incentiva a produção artesanal do interior.
As ações em prol da sustentabilidade são a base do projeto da Conescap e estão presentes em todos os estandes que fazem parte da exposição. O projeto sustentável foi concebido pelo arquiteto Sérgio Santos que está criando os espaços com materiais de reaproveitamento, como as madeiras do barco regional ‘Cristo Rei’, que navegou durante 44 anos na calha do rio Madeira e agora estão sendo utilizadas com outra utilidade.
Segundo o arquiteto, que também faz outros os tipos de reaproveitamento de resíduos e objetos que seriam descartados pelas empresas no estado, o trabalho com a matéria prima desse barco se torna ainda mais interessante devido sua história com a comunidade, pois a embarcação era responsável, entre outras coisas, pela escoação de produtos de agropecuária e de piscicultura da região do Madeira. “Meu trabalho consiste em reaproveitar resíduos de embalagens OSB e paletes, fazendo um mix com as madeiras de barco como o “Cristo Rei” e agregar valor à madeira de reuso de barco e os resíduos das fábricas do Polo industrial de Manaus”, diz Sérgio.
Amazônico – Com tanta história, o “Cristo Rei”, que após sua vida útil na navegação foi por um tempo uma espécie de pensão náutica, agora passa a compor os ambientes da 17ª Conescap dentro de uma arquitetura prática com o tema Amazônico, onde pode ser vista a harmonia com elementos retirados da floresta como esteiras, cestos indígenas, artesanatos e também o uso de similares como, canoas usadas como decoração.
Referência – Sergio Santos é amazonense e já realizou grandes trabalhos de arquitetura no estado. Entre alguns desses trabalhos estão o Hotel Tiwa, Ocean Center Samsung Manaus, todas as obras da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), incluso a sede Manaus. Ele também foi responsável por todo os projetos do Programa de Compensação Ambiental do Gasoduto Coari-Manaus, além de ter participado da primeira edição da Casa Cor com o projeto “Casa do Amazonas”.
Neste ano, o arquiteto também foi selecionado pela 16ª Bienal Internacional de Arquitetura da Argentina com o Projeto de Restauração Ecológica e Urbanização Sustentável na Amazônia (Reusa), que fica localizado no bairro da Redenção, e criou o Roteiro Turístico do navio Ibero Star e parte da ambientação interna do navio.