O velório do ex-jogador Coutinho, que morreu após ter um infarto agudo no miocárdio na noite da segunda-feira (11) em Santos, no litoral de São Paulo, acontece desde a madrugada terça-feira (12) no Salão de Mármore da Vila Belmiro. Coutinho defendeu o Santos Futebol Clube, foi campeão da Copa do Mundo pela Seleção em 1962 e fez dupla de ataque com Pelé.

Mengálvio e Dorval, ex-jogadores do Santos e companheiros de Coutinho, foram os primeiros a chegar ao Salão de Mármore para o velório do centroavante. Além deles, apenas familiares e alguns membros da diretoria do clube estiveram presentes nas primeiras horas da madrugada.

O ex-jogador morreu por volta das 18h30 de segunda-feira (11), na casa de sua filha Rosângela, no bairro Marapé, em Santos. O sepultamento está marcado para às 18h na Memorial Necrópole Ecumênica.

“Ele tinha diabetes e pressão alta. Creio que tenha sido em razão disso. O que posso dizer é que ele não sofreu, não sentiu dor, sequer agonizou. Estava com os olhos fechados e achávamos que ele estava cochilando na poltrona”, disse Rosângela.

Segundo ela, a família estava se preparando para levá-lo ao hospital no fim da tarde de segunda-feira, porque Coutinho não havia se alimentado bem ao longo do dia. “Ele não tinha comido nada hoje, e chegamos a chamar a ambulância. Mas, infelizmente, quando os médicos chegaram, já constataram o óbito”.

O Santos Futebol Clube decretou três dias de luto oficial pelo falecimento de Coutinho.