CPI da pedofilia da Assembleia Legislativa vai buscas primeiras informações em Brasília - Fato Amazônico

CPI da pedofilia da Assembleia Legislativa vai buscas primeiras informações em Brasília

A CPI da Pedofilia, da Assembleia Legislativa do Amazonas, vai buscar suas primeiras informações junto à CPI mista da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes do Congresso Nacional. A decisão foi adotada ontem pelos cinco membros da regional, durante a primeira reunião da comissão.

“Vamos nos reunir à Comissão Nacional para retirar um roteiro a ser seguido, uma vez que a CPI do Congresso já está ouvindo todas as pessoas envolvidas nesse esquema há anos”, apontou o presidente da CPI, deputado Abdala Fraxe (PTN). “A princípio, a CPI da Pedofilia terá 120 dias de vida. Mas, se houver testemunhas para ser ouvidas, ela pode ser prorrogada”, acrescentou.

A primeira reunião serviu também para a elaboração de uma lista de necessidades para o funcionamento da CPI, tanto dentro quanto fora da Assembleia Legislativa. As primeiras indicações são de sala exclusiva, assessoria jurídica, assessoria de imprensa e servidores à disposição da comissão.

Participaram da reunião, o relator, deputado Orlando Cidade (PTN), Ricardo Nicolau (PSD), Conceição Sampaio (PP) e o deputado José Ricardo (PT), que substituiu Luiz Castro (PPS), que teve de viajar com urgência.