Creche que custou aos cofres públicos mais de R$ 1 milhão, está abandonada em Manacapuru - Fato Amazônico

Creche que custou aos cofres públicos mais de R$ 1 milhão, está abandonada em Manacapuru

Manacapuru – Em 2012, o então prefeito Ângelus Figueira (PV), começou várias obras no município de Manacapuru antes do período eleitoral. Entre as iniciadas, estavam construções de creches escolas, campos de futebol e outras. Mas, uma das creches, que está localizada no bairro do Figueirinha, que custou aos cofres públicos mais de R$ 1 milhão e 446 mil, de um convênio com o Governo Federal, ao invés de servir as crianças que moram no local, está inacabada, completamente abandonada e tomada pelo mato e por urubus.

Ângelus, perdeu a eleição para Washington Régis, que não concluiu a obra ao saber que foram pagos a Fort Service Construções Ltda, empresa responsável, mais de R$ 825 mil, restando apenas R$ 620 mil e que não daria para concluir a obra iniciada na gestão do ex-prefeito.

Ao assumir a prefeitura ano passado, Washington Régis, disse que não teria como tocar a obra porque a Fort Service Construções, que seria ligada a Ângelus Figueira, responsável abandonou os trabalhos.

Régis, que está acometido de uma doença rara, acabou saindo da frente do executivo de Manacapuru e Jaziel Nunes Alencar, o “Tororó”, assumiu, mas ele também não quis tocar a obra iniciada na gestão de Ângelus Figueira.

Enquanto os adversários políticos brigam, quem paga pela falta da creche são os moradores do bairro Figueirinha, que trabalham e necessitam de um local para deixarem seus filhos, mas acabam sofrendo por conta do abandono da obra, hoje tomada pelos matos e por urubus que passam o dia sentados nas paredes que estão se acabando por conta da chuva e do sol.

“Quem deveria ter terminado a obra eu não sei, mas sei que o dinheiro é nosso, que somos contribuintes, que sem ter nada haver estamos no meio dessa briga política”, disparou uma moradora, que temendo represália, pediu sigilo da fonte.

De acordo com ela, assim que a creche começou a ser construída, todos no bairro ficarem felizes. “Finalmente iríamos ter uma creche em nosso bairro, mas agora estamos revoltados com o descaso das autoridades”, disparou revoltada com o descaso.