Curso de Biologia da ESBAM realiza atividades no dia Mundial da água - Fato Amazônico

Curso de Biologia da ESBAM realiza atividades no dia Mundial da água

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992 que discute e promove atividades no sentido de sensibilizar a preservação e o uso sustentável desse bem natural.

Atualmente, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) está sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial.

Pensando nisso, o Curso de Ciências Biológicas da Escola Superior Batista do Amazonas (ESBAM) através do projeto de extensão “O Biólogo nas Escolas: Educação, Meio Ambiente, Biodiversidade e Saúde” promoveu no último sábado (22/03) e domingo (23/03) momentos de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema, de forma interdisciplinar, inserido aspectos da biodiversidade amazônica.

A atividade foi direcionada pelos alunos do 7° período do Curso de Biologia, na Escola Municipal Madre Tereza de Calcutá da Nova Floresta, sob a gestão da professora Francinete Vale da Cruz, envolvendo as seguintes atividades:

• A importância da água da região amazônica para o ecossistema global.

(Lindaura Maués do Nascimento e Maira dos Anjos Silva)

• Diversidade de insetos e aracnídeos

(João Inácio Cruz, George Zacarioski e Daniel Paula).

• Reciclagem de lixo

(Carlos Malom Alencar Queiroz Junior, Tatiana da Costa Siqueira e Silvia de Souza Aparicio).

• Doenças Sexualmente Transmissíveis

(Dark Gabriela Dolzane de castro).

Para a Coordenadora do projeto Mestre em Biotecnologia e professora do Curso de Biologia da ESBAM, Enedina Assunção, “a comunidade necessita dessas atividades que proporcionem não apenas conhecimento, mas que modifique a qualidade de vida e saúde”. Para o Coordenador do Curso de Biologia, Wagner Moreira, essa proposta é fundamental pois “aproxima a comunidade do universo universitário, rompendo barreiras e criando pontes entre o saber científico e o conhecimento popular”.

A atividade contou com a participação de cerca de 100 alunos da escola, além de 50 pessoas da comunidade.