No minuto 11 do segundo tempo da derrota do Santos por 3 a 2 para o Palmeiras, no último sábado, no Allianz Parque, Daniel Guedes recebeu uma boa notícia. Victor Ferraz levou o terceiro cartão amarelo e a suspensão abriu espaço para nova oportunidade do lateral-direito reserva na partida contra a Chapecoense, segunda-feira, (12/11), às 20h (de Brasília), no Pacaembu, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O elenco folgou no domingo e segunda-feira posteriores ao clássico, mas Daniel começou ali a preparação antecipada para a chance de ser titular. O Menino da Vila conversou com a sua esposa Leticia e organizou melhores noites de sono para o decorrer da semana livre de treinamentos.

O motivo é nobre: o filho Davi, nascido em setembro. A paternidade mudou a vida do ala para melhor, porém, inspira cuidados na rotina de trabalho – e um sacrifício para a segunda oportunidade de sair jogando sob o comando do técnico Cuca. A primeira foi contra o Bahia, no dia 25 de agosto.

“Como tive tempo para saber que vou jogar, tive tempo para me organizar lá em casa e trazer alguém para dormir e cuidar melhor para que eu possa repousar e me alimentar melhor para nada refletir em campo (contra a Chapecoense)”, disse Daniel Guedes, em entrevista à Gazeta Esportiva.

Em um papo de quase 20 minutos com a reportagem, Daniel Guedes admitiu a queda de rendimento antes de perder a vaga no time para Victor Ferraz, elogiou Cuca (e Jair Ventura) e falou sobre a saudade de Ricardo Oliveira, hoje no Atlético-MG.

(Gazeta Esportiva)