Defesa Civil de Manaus registra 30 ocorrências por conta da chuva - Fato Amazônico

Defesa Civil de Manaus registra 30 ocorrências por conta da chuva

A Defesa Civil de Manaus recebeu, nesta segunda-feira, 24, em virtude da chuva 30 chamados por meio do número de emergência 199. As equipes começaram o atendimento pelas ocorrências de maior gravidade. Entre elas, três casas com risco de desabamento.

Uma das casas está localizada na Rua Barcelos, Praça 14 de Janeiro. A outra na Rua das Pratas, no Nova Vitória, zona Leste. Equipes da Defesa Civil fizeram vistoria nos imóveis e as famílias foram cadastradas para atendimento pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh).

A outra casa está localizada na avenida Duque de Caxias, na Praça 14 de Janeiro, zona Sul da cidade. O imóvel – com risco de desabamento – já era monitorado há uma semana por técnicos, que fizeram, na manhã desta segunda-feira, a demolição da casa. O espaço já estava desocupado pela família, que está sendo atendida por meio do Aluguel Social.

Nesta segunda-feira, a maioria dos registros foi de alagamentos em vários pontos da capital, contabilizando dez chamados para os bairros do Zumbi dos Palmares, Parque das Laranjeiras, Nova Esperança, Coroado, Dom Pedro, além da Cidade Nova e loteamentos Rio Piorini e Lagoa Azul.

Oito deslizamentos de barrancos também foram registrados. Um deles, na Rua Fábio Lucena, no Tancredo Neves, zona Leste, oferecendo alto risco por conta das casas construídas em cima dele. Outra situação de risco elevado foi registrada no conjunto Renato Souza Pinto, na zona Norte, onde equipes da Defesa Civil fizeram a vistoria em pelo menos 16 casas construídas em cima do barranco. As famílias do local também foram cadastradas para atendimento por meio do Aluguel Social. Outras ocorrências de deslizamento de barrancos foram na Colônia Terra Nova, Redenção, Petrópolis e João Paulo.

Além destas, foram registrados ainda riscos de deslizamentos de barrancos em Flores, Monte das Oliveiras, Cidade de Deus e no Loteamento Nova Vitória. Outros registros incluíram rachadura em paredes de casas na Comunidade Nova Vitória e o desabamento de um muro no Monte das Oliveiras.