DESCASO: Em Manacapuru lixo é recolhido em caçambas e aterro sanitário é um lixão a céu aberto - Fato Amazônico

DESCASO: Em Manacapuru lixo é recolhido em caçambas e aterro sanitário é um lixão a céu aberto

O Fato Amazônico recebeu via whatsapp fotografias que mostram como a Prefeitura de Manacapuru, hoje administrada por Jeziel Nunes Alencar, o “Tororó” trata a coleta do lixo no município. O que era para ser um aterro sanitário, localizado na estrada de Novo Airão, é na verdade hoje um lixão a céu aberto tomado hoje por cantadores de lixo que vivem em meio a uma imensa quantidade de urubus que tomam conta da área.

Mas, o descaso da prefeitura com o recolhimento do lixo não para por ai. O lixo ao invés de ser recolhido em um carro coletor apropriado para uso na limpeza da cidade é feito de maneira diferente pela administração municipal que usa caçambas para a coleta no município.

A desvantagem no uso de veículos abertos na coleta do lixo ao invés de um coletor apropriado é o perigo do lixo recolhido cair pelas ruas da cidade e de acordo com moradores de Manacapuru é isso que ocorre no município com a coleta de lixo.

Mas, o descaso do prefeito Jeziel Nunes Alecar, ainda vais mais longe. De acordo com moradores a coleta no município não é diário e em alguns locais da cidade já existe lixões ao céu aberto.

O prefeito esquece que um dos principais objetivos da remoção regular do lixo gerado pela comunidade é evitar a proliferação de vetores causadores de doenças. Ratos, baratas, moscas encontram nos restos do que consumimos as condições ideais para se desenvolverem.

O prefeito de Manacapuru está esquecendo que se o lixo não é coletado regularmente os efeitos sobre a saúde pública só aparecem um pouco mais tarde e, quando as doenças ocorrem as comunidades nem sempre associam à sujeira.

E não é apenas na questão da saúde da população que a Prefeitura de Manacapuru ao deixar de fazer o recolhimento do lixo está pecando. Os garis que trabalham nas caçambas que recolhem o lixo andam pendurados em cima dos veículos arriscando suas vidas.

A reportagem do Fato Amazônico tentou contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Manacapuru para falar a respeito das denúncias, mas não conseguimos.