Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, conselheiro Érico Desterro, participou ontem, na sede do Tribunal de Contas da União, em Brasília, do encontro Diálogo Público sobre a “Governança de Unidades de Conservação no Bioma Amazônia”, onde palestrou sobre “Contribuições Socioambientais das Unidades de Conservação”, ao lado do ministro-substituto Weder de Oliveira, relator da Auditoria Coordenada de UCs no Bioma Amazônia.

Desterro falou sobre a importância do estreitamento de parcerias com o TCU e que as auditorias coordenadas representam mudanças do paradigma passado onde havia um distanciamento entre os Tribunais de Contas e o TCU. “A mudança deste cenário é salutar para a sociedade”, afirmou.

Sobre a questão ambiental, o presidente do TCE lembrou que é hora de inverter a ótica de importância da Amazônia. “Todos falam da importância da Amazônia para a comunidade internacional, mas acredito que esta ótica deve ser invertida. Devemos falar é da importância da Amazônia para os ribeirinhos e as populações tradicionais, dar condições para que eles possam ter uma vida digna”.

O presidente do TCE falou sobre a auditoria realizada pelos técnicos do TCE nas unidades de conservação estaduais e lembrou que o TCE também está atuando em outras áreas com o TCU. Em sua fala, ele pontuou as dificuldades de se trabalhar em um Estado de dimensões continentais.

“Sabemos que o Amazonas avançou muito na questão ambiental, mas ainda há muita coisa a ser feita. Só para citar um dos dados do relatório, o número de servidores é insuficiente. É um funcionário a cada 318 Km2, enquanto que em outros países é um funcionário a cada 21 ou 26 Km”, relatou Desterro.

O relatório do TCE foi aprovado no dia 24 setembro com 31 recomendações para o governo do Amazonas, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável, Centro de Unidades de Conservação (CEUC) e Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas.

Os técnicos do TCE que participaram da auditoria apresentam amanhã os dados do Amazonas, em seminário no Instituto Serzedelo Corrêa, do TCU.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •