Detran-AM e CMM vão debater a segurança e novas mudanças no trânsito de Manaus, nesta quarta-feira - Fato Amazônico

Detran-AM e CMM vão debater a segurança e novas mudanças no trânsito de Manaus, nesta quarta-feira

A delimitação dos horários de circulação para os veículos pesados nas vias da cidade, principalmente nos horários de maior fluxo; a inserção de tacógrafos em mototaxis e motofretes; fechamentos de retornos em algumas vias são alguns dos assuntos que estarão na pauta da cessão de tempo que será realizada nesta quarta-feira (2), às 9h:30 na Câmara Municipal de Manaus. A informação foi confirmada pelo diretor-presidente do Departamento Nacional de Trânsito no Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza.

O debate tem o propósito de apresentar propostas para melhorar o fluxo dos veículos em Manaus e aumentar a segurança da população, além de apontar soluções para evitar acidentes como o que ocorreu na última sexta-feira (28), entre uma caçamba e um micro ônibus, que vitimou mais de 15 pessoas. “A Câmara soma esforços com órgão competentes para debater e buscar soluções imediatas para o trânsito em nossa cidade”, ressaltou Saraiva.

De acordo com Bosco, medidas já estão sendo tomadas tanto por parte do Detran-AM e da Prefeitura de Manaus, que já começa a agir com a interdição de retornos sem baias de recuo na Avenida do Turismo e a extensão da proibição para veículos pesados para além da área Central, que foi determinada pelo prefeito Arthur Virgilio (PSDB) no último domingo, durante reunião com todo o seu secretariado. Como informou Saraiva, esta última será estendida por meio de portaria do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans).

Na oportunidade, Bosco ressaltou ainda, a sugestão de Leonel Feitoza, para uma fiscalização mais rígida nos antigos canteiros centrais da Avenida Efigênio Sales, tudo porque as rampas para cadeirantes estão sendo usadas por motocicletas, causando transtorno no transito e perigo para quem passa por ali. “Todas essas medidas trarão melhorias para o trânsito da cidade. Essas medidas estão sendo levadas a sério para que possamos aperfeiçoar a regra legislativa e ao mesmo tempo programar uma maior de fiscalização”, assegurou Saraiva.

Mesmo com a existência do decreto nº 2.100/13 sobre a restrição de veículos de grande porte no Centro de Manaus, Bosco disse que o decreto será estendido após análise do Manaustrans. “O decreto não impede que a CMM faça o aperfeiçoamento da regra”, ressaltou o presidente Bosco, ao reafirmar que amanhã (quarta-feira) Leonel Feitoza encaminhará uma pauta oficial de sugestões para ser discutida na Casa. “Estamos recolhendo toda a experiência do ex-vereador e atual presidente do Detran que domina todos os dados do trânsito de Manaus e do Estado”, confirmou o parlamentar.

Números

Na ocasião, Feitosa destacou os 55 mil veículos pesados que trafegam diariamente na cidade, entre eles: caçambas, carretas, caminhões e ônibus, os quais segundo Feitoza, causaram mais de 1.500 acidentes em 2013, a maioria deles (acidentes) por imprudência e excesso de velocidade. “Temos que ter consciência e delimitar os horários de circulação desses veículos para evitar mais tragédias na cidade”, disse Leonel.

Como informou o diretor do órgão, são realizados 14 mil exames de direção ao mês, desse total 70% são reprovados, por não reunir condições de estar no trânsito. “Temos que ter a participação de todos. O trânsito não é guerra”, disse Leonel.

Fiscalização

Conforme Leonel, a fiscalização feita pelo órgão está dentro da sua área de delimitação, a qual atende as Avenidas Torquato Tapajós e do Turismo, o restante cabe ao Manaustrans. “Com a Lei e com a parceria que temos hoje, vamos trabalhar em conjunto para inibir o excesso de velocidade e preservar vidas”, completou ele.

Educação no trânsito

Feitosa destacou ainda, a Campanha de Educação no Trânsito realizada todos os dias pelo órgão com o propósito de conscientizar os condutores e a população em geral. “O grande problema é que as pessoas não se conscientizam. Outro dia paramos e autuamos um mototaxista que trafegava com uma senhora e uma criança de dois anos em sua moto. A senhora em vez de agradecer ficou revoltada dizendo que a atuação era uma palhaçada. A população teima em viver perigosamente”, concluiu Leonel Feitoza.