Independentemente da decisão da diretoria sobre o futuro do goleiro Diego Alves, o fato é que o jogador ficou sem ambiente no clube após se recusar a viajar com o restante da delegação para Curitiba (PR), onde o Rubro-Negro goleou o Paraná Clube por 4 a 0, mantendo vivas as chances de lutar pelo título do Campeonato Brasileiro. O jogador não quis seguir com o grupo por entender que não deveria ser reserva de Cesar, mesmo tendo ficado um mês parado devido a uma lesão na coxa direita.

A decisão do jogador repercutiu muito mal junto ao restante do elenco, que viu a escolha como egoísta e sem pensar no grupo, já que o Flamengo vem tentando uma arrancada para superar o líder Palmeiras e ser campeão.

Nenhum jogador quis falar abertamente sobre o episódio, porém, o meia Diego, que também foi barrado após se recuperar de dores na coxa direita, deu o tom do pensamento do plantel ao ser perguntado se estava irritado por ter começado o jogo com o Paraná no banco de reservas.

“Não tenho a menor dúvida que o bem do Flamengo é muito mais importante que a minha titularidade. Estamos, na verdade, é felizes com a equipe ganhando e se aproximando de alguns objetivos”, disse.

Os jogadores conversaram com o técnico Dorival Júnior antes do jogo com o Paraná para apoiá-lo na decisão de manter Cesar entre os titulares e garantiram que o fato não vai atrapalhar o rendimento da equipe. O treinador evitou polêmicas sobre o caso e disse apenas que vai conversar com o jogador. O Flamengo ainda não se posicionou.

O elenco do Flamengo ganhou folga nesta segunda-feira, logo depois de a delegação retornar do Paraná, e na terça-feira retoma aos trabalhos já de olho no choque contra o Palmeiras no próximo sábado (27/10), às 19h (de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro aparece com 58 pontos ganhos, quatro a menos que o líder, que é justamente o Verdão. (Gazeta Esportiva)