DILIGÊNCIAS: Advogado Armando Freitas foi vítima de homicídio e não de latrocínio, diz polícia - Fato Amazônico


DILIGÊNCIAS: Advogado Armando Freitas foi vítima de homicídio e não de latrocínio, diz polícia

O delegado Adriano Felix, da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), afirmou depois de diligências realizadas de que a morte do advogado criminalista Armando de Oliveira Freitas, 79, ocorrido na manhã de sexta-feira (4), tem mais características de homicídio do que crime de latrocínio (roubo seguido de morte).

Mas, Adriano Felix disse que mesmo descartado a possibilidade de latrocínio, equipes da Especializada em Roubos e Furtos seguem auxiliando a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequetros nas investigações, para descobrir a motivação do crime e identificar os autores ou autor do crime.

Um revólver calibre 38 foi encontrado na frente do escritório do advogado assassinado já foi encaminhado a Instituto de Criminalística para ser periciado. Ontem os policiais visitaram residências e comércios localizados nas proximidades do crime e recolheram imagens de câmeras de segurança.

Um homem, ainda não identificado, chegou na porta do escritório de advocacia, localizado na rua Presidente Dutra, bairro Glória, Zona Oeste de Manaus e teria chamado o nome da vítima.

As equipes da Derfd e da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) estão investigando o crime.

Após ser baleado, o advogado Armando Freitas foi socorrido por seu filho, o também advogado Glen Wilde do Lago Freitas que o levou ainda com vida para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu minutos depois de entrada.

O corpo de Armando de Oliveira Freitas está sendo na Assembleia Legislativa do Estado. O enterro acontece neste sábado (5), a partir das 16h30, no cemitério São João Batista, localizado na Av. Boulevard Álvaro Maia.