A direção do Pronto-Socorro 28 de Agosto – certamente orientada pela “nobreza” instalada no governo do Amazonas – deu uma tremenda derrapada ao impedir na manhã de sábado, 23, que o deputado Wilker Barreto percorresse as dependências daquela unidade de urgência e emergência para se inteirar de seu funcionamento e da normalidade medicamentosa.

Que horror!

Se é assim que é tratado um representante legitimamente eleito pelo povo, com acinte, barrado por uma determinação esdrúxula, impopular e abusiva, emanada do poder democraticamente instituído, não resta dúvida de que o Amazonas ainda continua sob o julgo auspicioso de um coronel de barranco.

Não ficou bem para o governo, como pode ser comprovado nas imagens de vídeo, usar como escudo, para esconder o alto relevo da incompetência de gerir a desbaratada saúde pública no Amazonas, a imagem de indefesos agentes de segurança.

Resultado: pegou um puxão de orelhão da Assembleia Legislativa do Estado e da Associação dos Deputados e Deputadas do Amazonas (Adeam), que pediram respeito à Constituição do Estado e ao livre exercício da atividade parlamentar à diretoria do Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Em nota encaminhada a imprensa o direção do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto considera um mal entendido o episódio ocorrido no sábado (23/02), na unidade.

Afirma ainda na nota que não há qualquer impedimento ao trabalho do parlamentar Wilker Barreto e seus pares na Assembleia Legislativa do Amazonas.

Íntegra das Notas