Discussão com Rossy Amoêdo e relação com Conselho de Artes, levaram Arlindo Junior a entregar o cargo de apresentador do Caprichoso - Fato Amazônico

Discussão com Rossy Amoêdo e relação com Conselho de Artes, levaram Arlindo Junior a entregar o cargo de apresentador do Caprichoso

O ex-apresentador do Caprichoso, Arlindo Junior, justificou que na última terça-feira (28) sua saída do boi seria por motivos pessoais, mas não citou quais. Mas dois teriam pesado para sacramentar a renuncia, um a discussão com o vice-presidente do boi e presidente do Conselho de Artes, Rossy Amoêdo, por causa do atraso dele na festa do CD 2015, no dia 25, sábado e a desaprovação de 90% de seu nome para continuar como apresentador do azul e branco.

A divulgação de seu atraso na festa o teria deixado profundamente irritado e ao mesmo tempo entristecido, o "Pop da Selva". Em Parintins divulgou-se que Rossy Amoedo, havia ordenado que a festa começasse sem Arlindo Junior.

Na festa, quando o Pop da Selva entrou em cena, o levantador de toadas David Assayag cantava sozinho e sem ter sido anunciado. Junior Paulain, o amo do boi, que puxou nas redes sociais uma campanha para barrar Arlindo da função de apresentador e como meio de pressionar a diretoria a nomeá-lo no posto, já estava bastante animado no palco e interagindo com a galera azul que lotava o curral Zeca Xibelão.

Mas, antes de Arlindo subir ao palco, iniciou-se nos bastidores do camarim uma discussão entre ele e Rossy Amoêdo. O presidente do Conselho de Artes não tolerou o atraso do então apresentador, uma vez que haveria um acerto prévio de que todos os itens chegariam com bastante antecedência ao início do evento. E o Pop da Selva não havia cumprido com o acordo.

O segundo motivo, seria a relação profissional dele com o Conselho de Artes. Arlindo Junior mantinha uma boa relação com todos os seus membros. Mas o ex-apresentador tomou conhecimento também, que ele já não contava com a aprovação de 90% de integrantes do Conselho, para permanecer na função. Porém, essa posição contrária a Arlindo era ainda mantida no ambiente interno do boi. Um dos poucos que ainda torcia pela permanência do Pop da Selva – e que também teria feito críticas coerente nas avaliações de arena – seria o conselheiro Gil Gonçalves.

Ao saber que também estava preterido pelo Conselho e mais a confusão dos bastidores da festa do curral, Arlindo teria confidenciado a amigos, que estaria decepcionado e que seus amigos do bumbá já lhe faltavam com o respeito. Isso está implícito na carta de despedida dele. Arlindo cita que já foi apresentador, levantador de toadas, membro do Conselho de Artes e que sempre apoiou o CDC, FAB e Troup. “Sempre me doei ao bumbá Caprichoso”, mencionou.

Ainda no comunicado de renuncia ao cargo, Arlindo Junior agradeceu nessa sua passagem rápida, novamente, como apresentador, somente a cinco pessoas: o presidente Joilto Azêdo, a Rafaela Silva, Jessica e Edy (fã clube) e a Hélio Muniz (administrador de sua fan Page). Em nenhum momento o ex-apresentador cita o nome de Rossy Amoêdo.

Fonte DeAmazônia