Em 2017, com o apoio do ex-governador José Melo, João Campelo se elegeu presidente da Associação Amazonense de Municípios

A eleição para presidência da Associação Amazonense de Municípios (AAM) se aproxima e já tem raposa antiga de olho na entidade. É o caso do ex-prefeito de Itamarati, ex-presidente da AAM e candidato derrotado a deputado estadual em 2018, João Campelo. Numa composição como o atual prefeito de Envira, Ivon Rattes, Campelo seria o vice-presidente da chapa, com a possibilidade de voltar a empregar as velhas práticas que deixaram a Associação em situação quase falimentar.

Em 2017, com o apoio do ex-governador José Melo, João Campelo se elegeu presidente da AAM, mas ficou pouco tempo no cargo. Ainda em 2017, após a eleição suplementar que elegeu Amazonino Mendes, Campelo abandonou a Associação e assumiu o cargo de diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM). Sua passagem pelo órgão foi marcada pelas já conhecidas práticas de loteamento de cargos e apadrinhamento político.

Após levar o IDAM ao caos e praticamente ter sido enxotado de lá pelos servidores do órgão, voltou a presidir a AAM. Alguns meses depois, se afastou novamente da entidade. Dessa vez, para uma medíocre candidatura a deputado estadual, na qual trabalharam parentes de Campelo e agregados, todos empregados na Associação. Vale destacar que esses gastos de campanha não foram informados ao TRE durante a prestação de contas do candidato.

DISTÂNCIA

Quem quer distância de João Campelo é o governador Wilson Lima. Depois de trabalhar ativamente na coligação de Amazonino Mendes no primeiro turno das eleições de 2018, Campelo mudou de lado e chegou a declarar apoio a Wilson Lima no segundo turno. O ex-prefeito chegou a tirar foto com o então candidato Wilson Lima, porém, horas após o registro nas redes sociais, voltou atrás, retirando o apoio a Wilson e retornando aos braços de Amazonino. Pesou sob a decisão de Campelo a promessa de receber recursos do então governador para os aliados do interior.

A traição de João Campelo já faz o governador Wilson Lima olhar com desconfiança para o próprio Ivon Rattes, que ensaia uma candidatura para a AAM. Wilson não tem mais confiança em Campelo, que já foi aliado de Eduardo Braga, Omar Aziz, José Melo, Amazonino Mendes, o próprio Wilson Lima (por 30min) e, novamente Amazonino Mendes.

Dizem que os esqueletos começam a sair do armário na AAM e ainda tem muita coisa escabrosa para ser revelada até o processo eleitoral, previsto para ocorrer em março.