Eletrobras Amazonas Energia e Banco Mundial acompanham trabalhos do projeto “Energia +” - Fato Amazônico

Eletrobras Amazonas Energia e Banco Mundial acompanham trabalhos do projeto “Energia +”

Para acompanhar de perto as ações do Projeto “Energia +” que está em fase de execução em Manaus, uma comitiva formada por representantes da Eletrobras Amazonas Energia e do Banco Mundial (The World Bank) visitou na manhã da última quinta-feira (27), o bairro Terra Nova, na Zona Norte de Manaus. A comitiva do Banco Mundial pode acompanhar os trabalhos que a Eletrobras Amazonas Energia vem desenvolvendo no âmbito do Projeto.

O “Energia +” trata-se de um convênio firmado entre o Banco Mundial e a Eletrobras Holding que, entre outros objetivos, visa levar energia elétrica com muito mais confiabilidade e segurança para os consumidores atendidos pelas empresas Distribuidoras de energia elétrica do grupo Eletrobras, nos Estados do Acre, Alagoas, Amazonas, Piauí, Rondônia e Roraima. O valor do investimento do Projeto está orçado em cerca de R$ 309 milhões.

Em sua primeira vez no Amazonas, o gerente do Setor de Energia para a América Latina e Caribe do Banco Mundial, Mac Cosgrove-Davies, afirmou que ficou bastante surpreso com o que viu e não imaginava uma cidade do tamanho de Manaus, em plena Amazônia.

“Em termos de desenvolvimento, não fazia ideia do tamanho da cidade que é Manaus. E, sobre o Projeto, pudemos assistir às apresentações e ficamos impressionados com o nível de sofisticação dos trabalhos e do progresso do “Energia +” aqui na Eletrobras Amazonas Energia”, declarou o norte-americano.

Em relação às expectativas, Cosgrove relatou que as ações estão caminhando bem. “Do ponto de vista do Projeto ‘Energia +’, o Banco Mundial está interessado em dois níveis de questões: A primeira é em relação à parte de investimentos que causa impactos positivos nos consumidores e nos negócios. A segunda está no âmbito institucional, colaborando para que a Eletrobras melhore seu desempenho operacional”, explicou o representante do BM.

Melhoria

Com pouco mais de 20 dias após ter o medidor de sua casa substituído por um equipamento mais moderno e digital, o comerciante Djalma Gomes Nascimento, 54, morador do bairro Terra Nova, disse que é grande a expectativa de melhoria quanto ao fornecimento de energia elétrica.

“Além do medidor, eles (equipes da Eletrobras Amazonas Energia) também trocaram a rede elétrica da rua. A qualidade da energia melhorou e muito. Se for para ter melhoria no serviço, prefiro pagar mais porque aí todo mundo sai ganhando”, declarou o comerciante.

A comitiva também ficou impressionada com a hospitalidade com a qual foi recebida pelos moradores e pelas equipes da Eletrobras Amazonas Energia, envolvidas no Projeto.

De acordo com o coordenador local do Projeto “Energia +”, Valdemir Andrade de Albuquerque, a visita foi bastante positiva porque “tivemos a oportunidade de mostrar à missão do Banco Mundial o comprometimento e a capacidade técnica das áreas e equipes envolvidas na execução no projeto que, com certeza trará melhorias aos consumidores, quanto à satisfação e qualidade da energia recebida, nas áreas de abrangência do projeto”.

Energia +

O Projeto “Energia +” tem como objetivo reduzir as perdas elétricas (ligações clandestinas, etc), aumentar as taxas de arrecadação e melhorar a qualidade dos serviços prestados à população pelas seis distribuidoras da Eletrobras. O programa prevê ainda um conjunto de ações planejadas, tais como: redução da frequência e da duração das interrupções de energia elétrica, ampliação do investimento na expansão e melhoria dos sistemas de distribuição, além do fortalecimento institucional e capacitação técnica.

Com os recursos também estão sendo executados programas de desempenho gerencial, aplicação das melhores práticas de gestão ambiental, realização de monitoramento e avaliação de desempenho fundamentado em sistemas de informação, execução de programas de ação social e comunicação estratégica. Tudo para tornar o setor elétrico mais dinâmico e eficaz.

Para reduzir as perdas elétricas, por exemplo, estão sendo substituídos medidores e outros equipamentos obsoletos por mais modernos, que possam aumentar a flexibilidade operacional e melhorar a qualidade no fornecimento de energia. A infraestrutura será renovada para entrar em operação uma medição avançada, de maior precisão, o que minimizará os riscos de desvios. Inclui ainda a instalação de redes blindadas e caixas de medição capazes de identificar qualquer anormalidade no consumo do cliente, de maneira rápida e eficiente.

Os recursos também serão destinados à construção de linhas de transmissão e subestações em 69 kV e implantação de softwares ideais para atualizar dados dos clientes e mapear as redes de distribuição.