Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Prefeitura de Manaus deu mais um passo para o reordenamento do centro da cidade ao implantar, nesta quarta-feira, 17/1, o “Zona Azul” – sistema que irá organizar e democratizar o fluxo de estacionamento de veículos na localidade. O vice-prefeito Marcos Rotta esteve na avenida Eduardo Ribeiro, onde se deu o início do sistema, que durante o primeiro mês irá funcionar em fase de teste, sem a cobrança da taxa.

Também participaram da solenidade de implantação do “Zona Azul”, a primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária (FMS), Elisabeth Valeiko Ribeiro; o diretor-presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Franklin Pinto; e o representante do Consórcio Amazônia, concessionária do serviço, Guilherme do Amaral Rocha.

A implantação do sistema de estacionamento rotativo do município segue diretrizes do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), visando a mobilidade urbana nas grandes cidades, além de proporcionar maior fluidez ao trânsito, por meio da organização de vagas nas vias. No primeiro mês de implantação, até o dia 17 de fevereiro, não haverá cobrança de taxa pelo serviço. O trabalho dos monitores junto às vagas disponíveis será apenas educativo, orientando os motoristas sobre o funcionamento do sistema.

“Esse novo e moderno sistema de estacionamento rotativo vem democratizar as vagas no centro da cidade para que turistas, trabalhadores e consumidores possam encontrar vagas no Centro. Por isso, o prefeito Arthur Virgílio Neto determinou que nos primeiros trinta dias haja apenas uma orientação e não haja a cobrança do Zona Azul”, disse o vice-prefeito.

O novo sistema de estacionamento rotativo da prefeitura será operado pelo Consórcio Amazônia, inicialmente, com 1.500 vagas de estacionamento. Em um mês chegará a um total de 3 mil. A meta é que, em três meses, 5 mil vagas estejam funcionando. As vagas de estacionamento estarão disponíveis na avenida Eduardo Ribeiro e nas ruas 10 de Julho, Barroso, Henrique Martins, Rui Barbosa, 24 de Maio, Costa Azevedo, Marçal, Dona Libânia, Monsenhor Coutinho, Tapajós, Lobo D’Almada, Joaquim Sarmento, José Clemente, Ramos Ferreira, Frei Lourenço e Ferreira Pena.

Nas áreas incluídas, cada veículo poderá permanecer estacionado por até no máximo três horas. Segundo Guilherme Rocha, a rotatividade das vagas vai proporcionar aproximadamente 20 mil oportunidades de estacionamento por dia, nas ruas citadas. “Esse modelo vai contribuir muito com o ordenamento do centro da cidade, democratizando o acesso às vagas de estacionamento. Manaus está recebendo o mais moderno sistema disponível para estacionamento rotativo”, ressaltou.

O sistema

O “Zona Azul” é de fácil acesso e oferece tranquilidade e comodidade para as pessoas que precisam ir ao centro da cidade. A partir de agora, para estacionar nessa área, o motorista não precisará mais perder tempo circulando em busca de espaço, pois já poderá ir diretamente aos lugares disponíveis. O usuário pode visualizar as vagas disponíveis através do aplicativo, pelo celular. Ao chegar ao local, estaciona e regulariza a sua vaga, efetuando o pagamento.

O pagamento pode ser feito através do portal www.zamanaus.com.br ou pelo aplicativo “Zona Azul”, disponível gratuitamente nas lojas Google Play ou Apple Store. A concessionária do sistema está também firmando parceria com os lojistas do Centro, para habilitar alguns pontos de vendas de créditos.

Cada vaga do sistema é dotada de sensor, que vai detectar a hora em que o veículo estacionou. Os sensores estarão funcionando a partir de 17 de fevereiro, quando passará a vigorar a cobrança de taxa. Monitores uniformizados e com equipamentos portáteis atuarão no controle do tempo utilizado pelos usuários. Os monitores também estarão disponíveis para a venda de créditos para uso do estacionamento e para a orientação ao usuário.

O motorista que ultrapassar o prazo máximo de permanência de três horas poderá ter o veículo autuado pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans). “Conforme o CTB, artigo 181, inciso XVII, estacionar em desacordo com a regulamentação é uma infração grave, com multa no valor de R$ 195,23, e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação. Ainda cabe a remoção do veículo para o parqueamento da prefeitura” alertou Franklin Pinto, diretor presidente do Manaustrans.

O “Zona Azul” irá funcionar de segunda-feira à sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados, de 8h às 17h. No domingo não haverá cobrança pelo sistema. O valor cobrado, de segunda a sábado, será de R$ 3 a cada hora. A execução do sistema vai resultar em uma arrecadação municipal de 11% da receita bruta, que será transferida para investimentos no trânsito da cidade.

Entidades apoiam o novo sistema

O “Zona Azul” irá absorver guardadores de veículos que já atuam no Centro, a partir de uma seleção e treinamento. Alguns deles já estão inseridos nessa primeira fase de implantação do sistema. De forma tranquila, a empresa tem mantido diálogo constante com a Associação dos Guardadores e Lavadores Autônomos de Veículos do Amazonas (Aglavam).

A presidente do FMS, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, lembrou que a prefeitura teve preocupação com o lado social dos “flanelinhas” que trabalham nas ruas do centro. “Esse é um sistema que existe em todo o país e precisávamos organizar a cidade. Por isso, pensamos na situação dos flanelinhas, que agora passam a ser chamados de monitores. Para aqueles que não foram aproveitados no sistema vamos elaborar um projeto para colocá-los no mercado de trabalho”, garantiu.

O presidente da Aglavam, Henrique Santos, é, inclusive, um dos apoiadores da implantação do novo sistema rotativo de vagas no Centro. Para ele, a organização do trânsito no Centro de Manaus é necessária e o “Zona Azul” vai beneficiar a todos. “Para os guardadores e lavadores de veículos é a chance de ter um emprego formal, tendo os direitos trabalhistas garantidos”, destacou.

O presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Ataliba David Filho, acredita que, além de contribuir com a organização do centro da cidade, o sistema de estacionamento “Zona Azul” vai beneficiar o comércio da área, atraindo clientes para as lojas. “A organização dos estacionamentos, no Centro, é uma demanda antiga da ACA. Ao longo dos anos, muitos consumidores deixaram de ir ao Centro para fazer compras, devido à dificuldade de estacionar”, afirmou.

A mesma opinião é compartilhada pelo vice-presidente da ACA e especialista na área de Turismo, Pedro Mendonça. Ele considera a implantação do Zona Azul como uma grande oportunidade para alavancar o comércio no centro da cidade.

Para o presidente da Associação Brasileira de Indústrias de Hotéis do Amazonas (ABIH), Roberto Bulbol, já estava na hora de Manaus seguir modelos exitosos nessa área, implantados em outros estados. “Estamos bastante confiantes de que o Zona Azul vai ajudar a levar mais pessoas para o Centro e, consequentemente, impulsionar os negócios”, frisou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •