Em Parintins, eleições de 2016 já movimenta bastidores entre Carbrás, Bi Garcia e Messias Cursino - Fato Amazônico

Em Parintins, eleições de 2016 já movimenta bastidores entre Carbrás, Bi Garcia e Messias Cursino

Faltam 19 meses para as eleições que vão eleger os novos prefeitos. Mas, em Parintins a movimentação dos pré-candidatos agita os bastidores. Esta semana, o clima esquentou depois da notícia de que as contas do ex-prefeito e atual deputado estadual Bi Garcia (PSDB) chegaram do Tribunal de Contas do Estado para ser julgadas pelos vereadores.

Os olhares se voltarão para o plenário da Câmara. Os votos dos 11 vereadores serão disputados a tapa pelos principais interessados no julgamento: o próprio Bi e o prefeito Alexandre da Carbrás.

Aliados do prefeito disseram que Alexandre jogará pesado para “convencer” sua base e grupo de apoiadores do ministro Eduardo Braga a votarem pela reprovação das contas de Garcia. O entendimento de Carbrás é que o julgamento desfavorável ao deputado o tiraria de uma disputa pela prefeitura em 2016.

Sobre o tema Bi falou:“Só duas coisas me impedirão de ser candidato: uma é Deus e a outra será se eu morrer”. Tanto Alexandre quanto Bi Garcia conversam com os vereadores.

Os três principais virtuais candidatos a prefeito Alexandre da Carbrás, Bi Garcia e Messias Cursino estão desde a sexta-feira em Parintins e passarão o feriadão na cidade.

Com medo

Em seu programa de Rádio, Bi disse que Alexandre estaria com medo de enfrentá-lo nas urnas. “Esta com medo porque o prefeito não consegue fazer três coisas básicas de um gestor municipal: limpeza das ruas, tapar os buracos e pagar os salários”, alfinetou.

Excluídos

Os vereadores Juliano Petro Velho, Rildo Maia, Mateus Assayag e Ray Cabeça foram excluídos da visita do secretário Nacional de Programas Urbanos, do Ministério das Cidades, a Parintins. O prefeito Alexandre da Carbrás não teria os convidado. Na viagem a Brasília os quatro parlamentares, se queixam, de que teriam articulado a visita do prefeito ao senador Omar, e a mais quatro ministros. E que a vinda de Luiz Ramos teria partido de uma ação conjunta de todos.

Estremecido

Aliás, desde que retornaram de Brasília que o prefeito Alexandre e os quatro vereadores, que se auto-denominam de Quarteto Mágico, não se falam. Ou melhor, se falaram, mas foi uma conversa que não houve entendimento.

Vereador

Para se ter uma idéia nesta semana, Cabeça atacou o trabalho de Carlos Pipoca, a frente da coordenação de Iluminação pública. “As ruas tão no escuro, mas a academia dele está bastante iluminada”, disse. Ele é amigo pessoal de Carbrás. As críticas de Cabeça teriam irritado Alexandre. Cabeça finalizou dizendo que o prefeito quer lançar Pipoca candidato a vereador.

Por fora

O ex-vice-prefeito Messias Cursino olhará de fora essa pendenga entre Carbrás e Bi. Esta semana o blog deAmazônia anunciou que ele deverá ser o novo superintendente da Pesca do Amazonas. Para um bom entendedor a posse de Messias, no cargo, seria um sinal dado pelo ministro Eduardo, sobre a siua preferência por uma candidatura para disputar a Prefeitura de Parintins.

Fora de hora

Um dos aliados, presentes a uma reunião com o ministro Braga, em Manaus, o questionou sobre que orientação ele daria para três de seus apoiadores interessados em sair candidato a prefeito de Parintins. “Se viabilizem. A pesquisa que dirá quem vai ser o candidato”, afirmou o ministro, num tom de quem não tinha gostado da interpelação.

www.deamazonia.com.br