Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

No meio das negociações, entre as entidades que representam os policiais militares e o governo do estado, a respeito da data base e as mais de 2200 promoções dos praças, em uma delas, de acordo com áudio encaminhado ao Fato Amazônico, o Chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, revoltado com a manifestação dos servidores em frente a sede do governo, resolve ameaçar os representantes dos PMs e diz: “O que eu vi no vídeo não vai ficar impune. Seja quem for pode ser meu amigo inclusive. Vai pra rua sumariamente. Vá pra Justiça, reclame do que quiser, mas vai pra rua”, disparou.

Na gravação, Zaidan ainda diz: “Isso, só estou abrindo de uma forma deselagante. Até chato da gente iniciar uma reunião. Mas o que eu assistir no vídeo, não vais ficar impune. Isso já passa do limite. Isso aqui não é casa da mãe Joana, aqui se você quer pleitear direitos eu vou lá pra fora com vocês. Agora fazer o que fizeram com meus servidores enquanto eu estiver aqui enquanto eu tiver no governo, não se repete”, volta a ameaçar os dirigentes.

Antes de terminar a reunião, onde estavam Pereirinha, Gerson Feitosa e outros, Raul Zaidan, deixa a sala e diz: “Só quero que vocês decidam aí. Se acham melhor me passarem os nomes dessas pessoas (ele se refere aos manifestantes) ou que a gente identifique pelo vídeo. Elas não sabem, mas já estão fora, seja Civil ou Militar, não interessa. Vai ser sumariamente excluídos dos quadros, sumariamente”, diz.

O secretário, ainda diz que os que forem excluídos sumariamente que contratem o “Julinho” (advogado da Apeam) “ele é bom pra caramba nisso. Vão dar dinheiro para o Júlio, porque estão na rua”, dispara Zaidan antes de sair da sala e diz que todos terão cinco minutos para lhe darem uma reposta.

Os presidentes das associações ficam a sós e discutem a respeito das ameaças de Raul Zaidan e dizem que não estão ali para identificar nenhum manifestante.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •