O deputado estadual Wilker Barreto (PHS) visitou na manhã de sábado, dia 09, o Hospital e Pronto-Socorro  28 de Agosto e constatou que faltam 52 itens essenciais de medicamentos. Desses, um total de quatro são considerados vitais para pacientes, ou seja,  indispensáveis para manter a vida do ser humano. A lista foi concedida e assinada pelo diretor geral da unidade hospitalar, Eduardo Mesquita Jr.

A visita do parlamentar no pronto socorro decorreu após uma inspeção na Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), na última sexta-feira, 08, quando foi verificado que 23,60% de medicamentos essenciais estão zerados na unidade e, que deste montante, 3,75% correspondem a medicamentos vitais. Este último número equivale a uma relação de 60 itens em estoque zero.

“Eu não quero atribuir todo o caos, o colapso da saúde para um governo de 40 dias. Mas tem coisas que dependem de tomada de decisão. Vitais zerados, saúde, é mais importante que a Umanizzare, mais importante que vários pagamentos; salvo aqueles com verbas específicas, que foram feitos nos últimos dias. O meu apelo é que o Governador possa realmente dar atenção a isso”, disse Wilker.

Segundo nota da Cema, o abastecimento começa a ser normalizado dentro de 15 dias, de acordo com o presidente do órgão, Antônio Paiva. A remessa deverá garantir abastecimento de pelo menos 50% de todo o padrão nas unidades, que hoje é de 12%. Vale lembrar, que o Estado é responsável por 52 unidades hospitalares na Capital e 71 unidades no interior.

“A minha preocupação e questionamento é saber se em 15 dias as pessoas podem ficar prejudicadas por falta de estoque zerado. Eu tenho 15 dias para esperar respostas e ações, mas quem está no leito, quem precisa realizar cirurgia, quem necessita de um medicamento, tem este tempo para aguardar?”, indagou o parlamentar, ao continuar sua colocação.

“Não podemos contar com a sorte e com a proteção divina. Isso não é política ou politicagem, pois eu poderia aguardar o plenário na terça-feira (na Assembleia) e mostrar todos esses dados. Mas não. Pois para terça falta muito e até lá não sei se alguém pode morrer por falta de assistência”.

Durante a visita realizada, Wilker Barreto ainda recebeu a informação que outro medicamento que estava em falta no 28 de Agosto e no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio (Coroado), o Fentanil, foi resposto. Na última quinta-feira, 07, o parlamentar esteve na unidade da Zona Leste e o estoque deste medicamento tinha limite para menos de 24 horas.   

“O maior hospital da rede só tinha anestesia para uma tarde e uma manhã. O João Lúcio só tinha item para oito procedimentos, ou seja, em caso de um acidente com proporção maior, o hospital não conseguiria atender. Graças a Deus, após o pedido que fiz, fiquei sabendo hoje que o medicamento chegou aos dois hospitais. E  é essa resposta que queremos obter”.

HPS 28 de agosto

Adenosina solúvel injetável, Hidralazina, Morfina e Nitroglicerina solúvel injetável são os remédios vitais que estão zerados no Hospital 28 de Agosto, segundo a lista fornecida pelo diretor Eduardo Mesquita. A Hidralazina, por exemplo, é usada para casos de hipertensão (como adjunto para outros agentes anti-hipertensivos no tratamento da hipertensão moderada a grave), em casos de disfunção renal e disfunção hepática ou mesmo para  insuficiência cardíaca congestiva crônica.

“Dentro da experiência médica do doutor Eduardo, ele me apresentou e marcou na lista os itens que podem custar uma vida, caso não tenha na unidade de saúde, como é a realidade que estamos testemunhando neste momento. Esses são os vitais, não há como substituí-los. O que eu quero é que esse governo possa priorizar o que é prioridade e, assim, poder dar boas notícias em relação a saúde”, destacou Wilker, ao afirmar que vai dar continuidade ao assunto, visitando outras unidades e colaborando com sugestões ao Executivo.

Veja as Listas