Inaugurada pelo governo federal em julho deste ano, a Unidade Básica Fluvial de Fiscalização e Pesquisa (UBFFP) do Inmetro Amazonas iniciou na segunda-feira (05/11), a quarta expedição fluvial de pesquisa científica na calha do rio Purus. Esta é a quarta viagem desde que começou a operar nos rios do Amazonas e tem como destino as cidades de Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Canutama, Tapauá e Beruri.

De acordo com a pesquisadora do Inmetro Amazonas, Natália Salinas, a quarta expedição fluvial da unidade tem duração de 40 dias viagem, período em que serão realizadas diversas coletas para análises de pesquisa na área ambiental e da saúde. “Nós iremos coletar amostras da água, do açaí e do solo com objetivo de consolidar um inventário de dados nas áreas da saúde e meio ambiente, uma vez que anualmente serão realizadas pesquisas para obtermos um panorama do nosso estado”, disse a pesquisadora.    

Saúde – Na área da saúde serão coletadas amostras de açaí para a pesquisa da doença de chagas e do sangue de animais no entorno dos batedores que comercializam o fruto. Na ocasião os pesquisadores também farão um levantamento de inventário sobre doenças secundárias após a infecção da malária.

Meio ambiente Para identificar as bactérias e fungos com potencial biotecnológico e da saúde serão feitas pesquisas no solo dos rios Purus e Solimões. Além da busca por descobertas de microrganismo com potencial biotecnológico e pesquisa de alimentos.

Segundo o chefe do Inmetro Amazonas, engenheiro Márcio André Brito, a unidade fluvial de pesquisa já percorreu os municípios da calha do rio Madeira e rio Negro e o Baixo Amazonas e já identificou alguns resultados preliminares. “Em quatro meses de pesquisas realizadas já foram detectadas treze novas bactérias, sete novos fungos desconhecidos que ainda não existem na classificação biológica e que tem potencial para fármaco e antibiótico”, informou Brito.

“Os resultados também apontam para um aquecimento da água destes rios, o que indica um desequilíbrio ambiental ainda a ser descrito e discutido com pesquisadores da região”, completou o chefe do Inmetro Amazonas.

A expedição conta com a parceria das instituições de pesquisas Empresa Brasileira de Pesquisa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Fundação Oswaldo Cruz – Instituto Leônidas e Maria Deane (Fiocruz), Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS) e Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).