Empresário que trocava combustível por mercadorias é indiciado por receptação de furto em Parintins - Fato Amazônico

Empresário que trocava combustível por mercadorias é indiciado por receptação de furto em Parintins

Parintins – O empresário, Marisson Garcia Batista, dono Pontão São Lucas, localizado na Lagoa da Francesa (posto de gasolina no rio) e do posto de gasolina São Lucas, no bairro do Dejarde Vieira, em Parintins, que inclusive já foi candidato a vice-prefeito de Juruti, no Pará, foi indiciado pela delegada Ana Denise Machado, da 3ª Delegacia Interativa de Polícia, por crime de receptação. Ele é acusado de trocar combustível por mercadorias e eletrodomésticos furtados das carretas no dia 16 do mês passado, quando eram transportadas pelas balsas Walakiba e Linav VII, rebocadas pelo empurrador Jonav VII.

Fotos – Divulgação

“No seu depoimento, ele disse que as mercadorias eram trocadas por combustível. A embarcação parava no seu pontão e ele fazia a troca”, informou a delegada.

De acordo com Ana Denise, o empresário disse ainda, em seu depoimento, que não conhece nenhum dos donos das embarcações que paravam no pontão para abastecer e trocar a carga

“As investigações continuam, com o apoio da Sefaz, em busca de saber a procedência dos televisores e dos fornos de microondas apreendidos. Até agora só uma vitima apareceu”, disse a delegada.

Uma representante da transportadora Norte Brasil Logística, identificou parte de mercadorias apreendidas pela Polícia Civil de Parintins em poder do comerciante Marisson Garcia, como furtadas das carretas de acordo com Boletim de Ocorrência registrado.

De acordo com o representante da transportadora Nivalda Miranda, quando eles receberam a carga o lacre estava intacto. “Abrimos normalmente e só demos a falta de mais de cem volumes depois”.

Na delegacia em Parintins, Nivalda conferiu e identificou 25 caixas de calçados da marca Ravanelli com 12 pares cada, 19 caixas de calçados da marca Bárbara Kraz e uma caixa de confecções. Nem todos os volumes roubados da empresa estavam no lote apreendido.

A auditora da Sefaz, Débora Barros, informou que continua aguardando a manifestação de outras vítimas do roubo de mercadorias, haja vista as demais mercadorias, como eletrodomésticos e eletroeletrônicos pertencerem a outras empresas e podem ter sido desviados de outras balsas. Pela identificação dos destinatários, os desvios aconteceram tanto na rota Belém-Manaus, como de Manaus para Belém.