Encontro reúne cerca de 500 professores de matemática - Fato Amazônico

Encontro reúne cerca de 500 professores de matemática

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou, na tarde e noite desta terça-feira, 13, o 9º Encontro de Professores de Matemática da Rede. O evento reuniu cerca de 500 professores e marcou a celebração do Dia Nacional da Matemática, comemorado em 6 de maio. O evento ocorreu no auditório da sede da Semed, na Avenida Mário Ypiranga, bairro Parque Dez, zona Centro-Sul.

Com o tema “Alfabetização Matemática”, os professores discutiram a prática diária de ensinar a ciência da matemática e as deficiências na formação dos alunos no município. Houve uma palestra sobre o tema com o professor da Rede de Ensino Positivo, Carlos Henrique, e mesa-redonda com os formadores de professores alfabetizadores.

O coordenador do encontro, professor Newton Sérgio Lima, contou que toda a temática do ensino e aprendizado da matemática foram debatidos durante o evento. “Esse ano estamos discutindo a alfabetização matemática, como o aluno aprende desde as séries iniciais e como essa disciplina é apresentada a ele. Sabemos que a matemática tem uns números não tão agradáveis e essa situação ocorre porque a matemática acaba não sendo apresentada junto com a língua pátria na alfabetização dos alunos. Queremos mudar isso”, disse.

Newton comentou ainda que o tema deste ano foi elaborado a partir do plano do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), do Ministério da Educação (MEC). Atualmente, a rede municipal conta com cerca de dois mil professores de matemática. Os educadores que participaram do encontro lecionam para turmas do 6º ao 9º ano e para alunos do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Tecnologia e matemática

Durante o encontro, o desenvolvedor e professor de matemática da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Carlos Jenning, apresentou a plataforma “Ginga Memo”, projeto desenvolvido exclusivamente para a Prefeitura de Manaus. “O projeto parte da necessidade de alterarmos o quadro de ensino de matemática atual. Há uma série de sugestões entre as quais está a utilização das tecnologias”.

O professor explicou que a plataforma agrega recursos baseados em tecnologia da informação. “Construímos os conteúdos para o ensino fundamental em razão de estarmos trabalhando com a Semed. Essa plataforma é integral, uma vez que contempla os aspectos de gestão, coordenação de modo geral, como registro do professor, emissão de notas, gráficos de desempenho, aplicação dos conteúdos, desempenhos dos alunos e controle de notas. O professor vai usar o software na sala de aula como apoio ao ensino que ele faz”.

O piloto do projeto será implantado, inicialmente, em três escolas municipais. As escolas municipais Maria do Carmo Rebello de Souza, no São José; Helena Augusta Walcott, no Jorge Teixeira; ambas na zona leste, e a Raimundo Teodoro Bontinelly Assumpção, na Cidade Nova, zona norte, receberão a plataforma a partir do terceiro bimestre.

“A prefeitura quer solucionar um problema, que é o índice de nossos alunos. A matemática é um bicho papão e oferece um resultado ruim nesse sentido. O resultado da prova Pisa, que é um exame internacional, mostrou que nossos alunos não têm conhecimento suficiente pra usar a matemática para resolver problemas corriqueiros. Essa plataforma vai ser capaz de trabalhar bem com a linguagem”, disse o professor, ressaltando a vontade de que o projeto se estenda para outras escolas.