Pela primeira vez, no Amazonas, estudantes da rede municipal de ensino utilizaram urna eletrônica para escolher os representantes do grêmio estudantil. Por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), com o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), mais de 150 alunos, de 1° a 5° ano do Ensino Fundamental, da Escola Municipal de Educação Integral Vila da Felicidade, no Mauazinho, zona Leste, exerceram a democracia para escolher os representantes junto à unidade de ensino.

O grêmio estudantil é composto por estudantes da escola com o objetivo de representar os demais alunos da unidade de ensino, como forma de manter um diálogo entre os discentes, a gestão e os educadores, apresentar as principais demandas, bem como realizar ações integrantes e culturais.

Conforme o gestor da escola, Francisco Salles, a eleição contou com a disputa de duas chapas, com 11 alunos cada. Segundo ele, todo o processo de campanha, como visitas às salas para apresentar as propostas e debate, por exemplo foi realizado durante o período eleitoral. Ainda segundo ele, a ideia de usar urna eletrônica veio dos próprios alunos. “Encaminhamos ofício ao presidente do órgão (TRE-AM) e gostaram muito da ideia, porque nenhuma escola do Amazonas tinha provocado o TRE nesse sentido, somente as universidades, que participam das eleições dos diretórios. Eles acharam interessante por ser uma escola de Ensino Fundamental e nunca terem recebido uma solicitação dessas”, observou.

Incentivo

O TRE-AM cadastrou todos os 159 alunos da escola, com faixa etária de 5 a 14 anos, bem como os candidatos, forneceu uma urna eletrônica e auxiliou na instalação para realização do pleito.

Ainda conforme o diretor escolar, a intenção das eleições é, além de estimular o exercício da cidadania, incentivar que os alunos aprendam a escolher seus representantes desde novos.

“O aluno não vem à escola só para aprender português e matemática, ou as demais disciplinas. Essa é uma aula de cidadania. É muito importante saberem escolher seus representantes e quanto antes começarem a fazer isso, melhor. Na Educação Integral, trabalhamos com essa questão da escola ativa, democrática. Temos assembleias semanais, em que os alunos falam, questionam, optam por suas melhorias. Esse é o caminho. Somos a primeira escola (municipal) da zona Leste a instituir o grêmio”, observou.

Para a aluna do 4° ano do Ensino Fundamental, Rebeca Mariane Albuquerque de Lima, 9, a ação de votar e escolher o grupo de estudantes que representará todo o corpo discente foi importante. Rebeca também disse que toda criança deveria ter a oportunidade de usar a urna eletrônica. “Para mim, foi uma experiência incrível. Sabia como era votar acompanhando a minha avó. Escolher o candidato, apertar nos números e confirmar, acho que essa deveria ser uma experiência que toda criança de Manaus deveria ter. Eu espero que eles (chapa vencedora) façam muitas ações na escola”.

A dona de casa, Sonia Barbosa, tem dois filhos na unidade de ensino e parabenizou a iniciativa da escola por incentivar o espírito crítico nos alunos. “As crianças estavam muito animadas para votar. É muito importante aprenderem desde novos”, salientou.