Escolas da Semed encerram semana de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil - Fato Amazônico

Escolas da Semed encerram semana de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil

A semana de mobilização do Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil nas unidades da rede municipal de ensino encerrou na última sexta-feira, 16. Caminhadas, vídeos, músicas e exposições fizeram parte da programação. Todas as escolas municipais participaram das atividades.

Os alunos da Escola Municipal Maria Rufina de Almeida encerraram a semana com muita arte. “Eles (os alunos) trabalharam o tema dentro das salas de aula para apresentarem hoje (sexta-feira), expondo cartazes, apresentando músicas e danças voltadas ao tema criado por eles”, disse a pedagoga da escola, Marilene Nascimento,

A pedagoga disse ainda que os professores também participaram do processo. “Os professores receberam informações de como abordar o tema dentro da sala de aula, pois é um assunto que devemos ter todo um cuidado por serem crianças. Na terça, o estatuto da criança foi apresentado e, no restante da semana, eles trabalharam o assunto dentro da sala com vídeos, pinturas e desenhos”, contou.

Nesta sexta-feira, alunos, professores, pedagogos, pais de alunos e a comunidade em geral participaram de caminhadas em alusão à semana. Na Cidade Nova 5, zona Norte, a Escola Municipal Miguel Alencar organizou o evento. No Alvorada, zona Centro-Oeste, os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) Hermann Gmeiner e Graciliano Ramos também reuniram a comunidade para a mobilização.

Já no bairro Santo Antônio, na zona Oeste, quem organizou a passeata foram os professores e pedagogos dos CMEIs Elza Damasceno, Jean Piaget e a Escola Municipal Raimundo Nonato Pinheiro.

Késsia Karine de Souza Lins, 13, estuda no 4º ano da Escola Municipal Maria Rufina e contou que as atividades realizadas durante a semana serviram para informar todos os alunos sobre a violência sexual. “Nós estamos falando sobre o abuso sexual infantil, que é muito grave. Fizemos cartazes, treinamos as músicas e desenhamos. Tudo para passar informação de prevenção para nós, pois acontecem muitas situações de abuso que ninguém fica sabendo”.

Aluna do 5º ano, Chaiene dos Santos, 11, também participou das atividades. A turma dela criou uma paródia da música da cantora Annita. “Tem muita violência contra crianças e jovens nesse mundo. Apresentamos uma paródia que criamos de uma música da Annita para combater a violência. Nós estamos nos desenvolvendo e é importante saber sobre esse tema”, disse.