Escolas municipais da zona Leste usam obra do escritor Elson Farias para incentivar leitura entre alunos - Fato Amazônico

Escolas municipais da zona Leste usam obra do escritor Elson Farias para incentivar leitura entre alunos

O escritor Elson Farias foi homenageado, nesta segunda-feira, 13, pelos alunos da Escola Municipal Júlia Barjona e do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Santa Izabel, ambas localizadas no São José, zona Leste. Os estudantes fizeram apresentações de dança, canto e contações das histórias contidas na obra infantil “As aventuras de Zéze na Floresta Amazônica”. A atividade faz parte da Semana da Literatura Amazonense, trabalhada nas unidades de ensino da rede municipal de educação.

O prédio da escola Júlia Barjona, onde ocorreu a programação, foi todo preparado para receber o homenageado, que tem no currículo mais de 50 obras publicadas. Nas paredes, foram fixados poemas do autor e desenhos dos estudantes que faziam alusão às obras dele. No início do mês de abril, os alunos pesquisaram sobre os dez volumes que compõem “As aventuras do Zezé na Floresta Amazônica”. Cada turma ficou responsável pela apresentação de um tema.

Os estudantes do 1º ano E colocaram o público para dançar com o ‘Rap da Paz’, que clamou a Deus pela proteção da natureza e do homem, baseando-se na história “De mãos dadas com a paz”.

Mãe da aluna Giovanna, de 7 anos, a dona de casa Cristiane Lima prestigiou o evento. Para ela, a escola tem um papel fundamental no incentivo à leitura. Apaixonada por livros, conta que a filha herdou o hábito e parabenizou a Semed pela iniciativa.

“Ela fica empolgada com todos os trabalhos da escola e sempre se envolve bastante. Eu acho importante para a educação das crianças incentivar o hábito da leitura, principalmente de obras regionais. Eles (alunos) precisam conhecer nossa literatura, saber as maravilhas que temos aqui, sobre os rios, a preservação do meio ambiente. Isso é importante”, avaliou.

O homenageado do dia assistiu todas as apresentações e ao final disse se sentir honrado pela lembrança da escola. “É com muita alegria que vejo os alunos contando essas histórias – dez delas falando da floresta amazônica. É uma alegria muito grande ver que estamos escrevendo algo que está sendo utilizado pelas escolas na educação das crianças”, observou, lembrando da importância da iniciação da leitura. “É importante porque a leitura é uma nova forma de conhecimento da sociedade, das pessoas, de um todo. Essa iniciativa é muito importante para a educação”, avaliou o escritor.

Emoção

Durante as apresentações, as mães tiraram fotos e aplaudiam os filhos. A dona de casa Gleidiane da Silva, mãe do aluno Isaías, de 6 anos, era uma das mais emocionadas. O filho com plagiocefalia, má formação do cérebro, participou da apresentação da dança “A origem das estrelas”.

“Foi muito especial ver meu filho participando de uma apresentação, porque ele é uma criança especial. E muitas vezes as pessoas rejeitam essas crianças. Para mim, está sendo o maior orgulho vê-lo interagir com os coleguinhas. Isso é muito bom para o desenvolvimento dele e estou muito feliz por ter participado”.