Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou nesta terça-feira (12) a operação da Polícia Civil do Rio de Janeiro que prendeu um PM e outro ex-policial militar suspeitos de terem participado do assassinato da vereadora Marielle Franco.

“Espero que realmente a apuração tenha chegado de fato a quem foram os executores, se é que foram eles, e a quem mandou matar”, disse ao fim de uma reunião bilateral com o presidente paraguaio, Mario Abdo, no Palácio do Planalto. 

“É possível que tenha um mandante [do assassinato da vereadora]. Eu conheci a Marielle depois de que ela foi assassinada, não conhecia ela apesar de ela ser vereadora lá com o meu filho [o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ)] no Rio de Janeiro.”

Logo depois de ter sido abordado sobre o tema, Bolsonaro lembrou da tentativa de assassinato à faca da qual foi vítima em setembro de 2018, durante ato de campanha em Minas Gerais. “E também estou interessado em saber quem mandou me matar”, disse.

O ex-PM Élcio Vieira de Queiroz e o PM reformado Ronnie Lessa
O ex-PM Élcio Vieira de Queiroz e o PM reformado Ronnie Lessa – UOL

Questionado sobre se sentiu-se surpreso com envolvimento de ex-policiais, Bolsonaro não respondeu, mas disse que não acredita que existam crises impossíveis de serem solucionados, “coisa rara”.

O presidente comentou ainda que tem milhares de fotos com policiais de todo o Brasil, após ser questionado sobre a existência de uma foto sua ao lado de um dos ex-policiais preso nesta terça. “Eu tenho foto com milhares de policiais civis e militares, com milhares, do Brasil todo.” (com informações de Folha de S. Paulo)