Espi quer incentivar inovação entre estudantes do Bolsa Universidade - Fato Amazônico

Espi quer incentivar inovação entre estudantes do Bolsa Universidade

A partir da manhã de hoje (quinta-feira, 7), estaão abertas as inscrições do Concurso Público para a 7ª Sub-Região do Tribunal de Justiça do Amazonas. Elas poderão ser efetuadas até 8 de Junho deste ano. As informações oficiais do concurso estão nos editais publicados pelo TJAM, disponíveis no portal www.tjam.jus.br na aba "concursos e estágios".

Os municípios contemplados pelo concurso são Anamã, Anori, Autazes, Beruri, Caapiranga, Coari, Codajás, Manaquiri e Novo Airão. A nomeação, investidura, lotação, relotação e remoção para as vagas ficarão restritas à 7ª Sub-região, ou seja, o servidor não será promovido para trabalhar em Manaus.

Para inscrição, o candidato deverá apresentar o documento oficial de identificação e o comprovante de depósito referente à taxa de inscrição, conforme abaixo. Serão aceitos os depósitos realizados no período de 06 de Abril a 08 de Junho de 2015, conforme o Edital nº 3/2015 – CP7ª. A Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi) pretende incentivar os cerca de 20 mil estudantes atendidos atualmente pelo programa Bolsa Universidade, da Prefeitura de Manaus, à participação no edital da Operação Amazonas do Sinapse da Inovação. A iniciativa, criada pela Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi) e implementada no Amazonas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), pretende financiar, com até R$ 50 mil, ideias inovadoras na região.

A Espi é o único órgão municipal a compor o quadro de agentes parceiros, ao lado de 26 instituições de ensino, pesquisa e desenvolvimento, como a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) – além da própria Fapeam e de universidades particulares de Manaus. A cada um dos agentes parceiros caberá divulgar e oferecer suporte a eventuais interessados.

Já nesta quinta-feira, 7, por exemplo, a partir das 9h30, a Espi oferece palestra aberta a interessados com a participação da empresária e pesquisadora Yamile Benaion Alencar, representante da empresa Ecobios Consultoria Ambiental. A ideia é que as experiências da palestrante no setor de biotecnologia voltada à inovação sirvam de modelo de incentivo aos estudantes, auxiliando no amadurecimento de ideias que podem ser transformadas em produtos e modelos de negócio.

Para a diretora geral da Espi, Luiza Bessa Rebelo, a iniciativa da Certi, na implementação do programa Sinapse no Amazonas, pode contribuir para a renovação do próprio modelo Zona Franca, sempre muito questionado no aspecto de inovação. “Essa iniciativa é de maior importância no Amazonas, que ainda é dependente do modelo Zona Franca de Manaus. Toda vez que há um abalo, vemos que há poucas alternativas econômicas, de sustentabilidade econômica. Precisamos, portanto, incentivar o empreendedorismo”, avalia.

Servidores também podem participar

Assim, a Espi quer aproveitar a própria estrutura do Bolsa Universidade para estimular os alunos à participação no edital, lançado pela Fapeam no dia 29 de abril. “No nosso trabalho, rapidamente identificamos o que poderíamos incentivar nos alunos do Bolsa Universidade. Se é um programa de inclusão no processo do ensino superior, então nós vamos trabalhar no incentivo ao fomento e na orientação, para que esse conjunto de bolsistas elabore projetos de empreendedorismo. Estamos chamando esses bolsistas, vamos orientar, dar suporte e estímulo”, explica Luiza Bessa Rebelo.

A diretora geral da Espi ressalta, ainda, que o incentivo vai se estender, também, aos próprios servidores municipais, que serão instigados a desenvolver e apresentar ideias ao programa. “A prefeitura entende que esse é um momento extraordinário [a adesão como parceiro do programa Sinapse]. As potencialidades são muitas, especialmente na área de biologia e biotecnologia. Aos servidores que tenham uma boa ideia e que queiram começar um negócio, a Escola também vai dar essa orientação”, garante Luiza Bessa Rebelo.

Desde 2008, o Programa Sinapse da Inovação já recebeu quase cinco mil ideias pelo país. Do total, 83% das empresas geradas continuam ativas, faturando R$ 120 milhões e R$ 27 milhões à União por meio de impostos. No Amazonas, o programa é coordenado pela Fapeam. Informações sobre o edital, lançado no dia 29 de abril, podem ser conferidas no link: http://am.sinapsedainovacao.com.br/edital-amazonas/