Na tarde deste sábado (19/01), às 16h30 (de Brasília), o Cruzeiro entra no gramado do Farião, contra o Guarani, em Divinópolis, para abrir a 105ª edição do Campeonato Mineiro. O torneio do estadual de Minas Gerais terá uma grande novidade nesta temporada: o árbitro de vídeo. No entanto, a supremacia de Atlético e Cruzeiro deve continuar.

A decisão por utilizar o árbitro de vídeo chegará somente nas semifinais. Os quatro clubes que alcançarem a fase do torneio, terão o direito de uma disputa mais justa com a utilização dos recursos de vídeo pela arbitragem. A “conquista” tem aval da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), terá custo de R$ 40 mil por partida, mas com custos bancados pela própria entidade.

O árbitro de vídeo promete acabar com algumas “injustiças”, reclamada por equipes em várias ocasiões. O América, por exemplo, reclamou bastante em 2018 das decisões contra o Atlético e esbravejou contra supostos erros da arbitragem. Em dois lances difíceis, com bolas em cima da linha, a arbitragem validou um tento para o Galo e anulou o do Coelho, algo que gerou a fúria dos cartolas alviverdes.

Apesar das alterações com a chegada da tecnologia ao futebol mineiro, a forma de disputa segue a mesma. Serão 12 equipes que fazem a primeira parte do torneio jogando todos contra todos. Os quatro melhores classificados vão para a segunda fase, com disputa de semifinais. Vale ressaltar que neste momento, o primeiro joga contra o quarto colocado e o segundo contra o terceiro. O líder da primeira parte do torneio tem vantagens como jogar por dois resultados iguais até o fim.

Se a fórmula da disputa segue a mesma, outra coisa que não deve mudar é a supremacia de Atlético e Cruzeiro. Os dois maiores vencedores do torneio – o Galo com mais troféus do estadual –  tem os elencos mais fortes do torneio estadual.

Para 2019, vale ressaltar, inclusive, que o Atlético se reforçou mais. O Galo foi ao mercado e investiu pesado na contratação de dois zagueiros, Rever e Igor Rabello, o segundo mais caro, contratado junto ao Botafogo por R$ 13 milhões mais o empréstimo de Gabriel por dois anos. A equipe mineira ainda teve outras chegadas, como o meia Vinícius, o atacante Maicon Bolt, o lateral-direito Guga e o volante Jair.

Do outro lado da Lagoa da Pampulha – forma como é diferenciada Atlético e Cruzeiro em Belo Horizonte – o Cruzeiro foi mais cauteloso ao mercado. A equipe de Mano Menezes não teve grandes contratações, todavia, já conta com um elenco forte e vencedor. Uma saída, no entanto, promete ser bastante sentida: Arrascaeta deixou o clube rumo ao Flamengo, mas rendeu uma boa grana ao time celeste. A verba chegou na hora certa, pois a Raposa poderá colocar as contas em dia.

Em clima de brincadeira, o técnico do Atlético cutucou o treinador do Cruzeiro. Segundo Levir, Mano precisa ter muito azar no Campeonato Mineiro. “Desejo todo azar possível a ele. A gente depende disso: eu de sorte e ele de azar. Que ninguém se machuque”, brincou Levir com risadas. Mano Menezes evitou polemizar, foi simples em sua resposta. “Eu desejo que a gente faça um grande Campeonato Mineiro, não menosprezando ninguém, e conseguindo chegar a final. E aí cada um vai cuidar da sua parte, como é nossa obrigação”, completou.

Principais destaques

O Cruzeiro segue com seu elenco campeão, que superou os adversários para comemorar duas Copas do Brasil em sequência (2017 e 2018). Vale ficar de olho em Thiago Neves e Fred, dupla antiga já formada em outros tempos de Fluminense, reeditada em Belo Horizonte. Na temporada passada, no Campeonato Mineiro o camisa 9 celeste se machucou, mas promete dedicação para brilhar.

Pelo lado atleticano, alguns nomes chamam atenção. Como o Galo terá a pré-Libertadores já no início do Campeonato Mineiro, é provável que algumas partidas o técnico Levir Culpi utilize sua escalação reserva. Todavia, no primeiro jogo e no terceiro as equipes devem ser as principais, pois no encontro inicial já servirá para dar ritmo ao time e o terceiro será contra o Cruzeiro. Chama atenção da equipe alvinegra os reforços para a zaga, Rever e Igor Rabello – a preferida dos atleticanos para titularidade – além do lateral-direito Guga, destaque da Série B com o Avaí. O atacante Maicon Bolt, após longos anos fora do Brasil, também quer mostrar serviço.

Pelo interior

Nas equipes do interior, é preciso ressaltar a contratação do Villa Nova, equipe de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, que anunciou Roger Bernardo, ex-atleticano que teve passagens pelo futebol europeu, na Alemanha.

(Gazeta Esportiva)