EUA processarão imigrantes que entrarem de maneira ilegal - Fato Amazônico


EUA processarão imigrantes que entrarem de maneira ilegal

O governo dos Estados Unidos avisou ontem (23) que levará à Justiça todos os imigrantes que entrarem de maneira ilegal no país, inclusive os centroamericanos que chegaram na semana passada à Califórnia após terem percorrido o México durante semanas como parte de uma caravana.

“O presidente está monitorando a situação. Uma nação soberana que não pode defender a sua fronteira não será uma nação soberana por muito tempo”, afirmou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, no começo da entrevista coletiva diária.

“O governo de Trump está comprometido em cumprir as leis migratórias, independente se as pessoas são parte da caravana ou não. Se entrou nos EUA ilegalmente, descumpriu a lei. Nós faremos a lei ser cumprida com o processo”, argumentou.

Sanders avisou que o presidente Donald Trump está comprometido a fazer “tudo o que puder” na fronteira para proteger os EUA, mas pediu ao Congresso a aprovação de uma lei que acabe com as “fendas ilegais” que, segundo sua opinião, permitem a entrada de imigrantes irregulares e colocam os americanos em risco.

Trump propôs condicionar o acordo sobre o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta) ao endurecimento do controle migratório por parte do México.

“O México, cujas leis de imigração são muito rígidas, deve evitar que as pessoas passem pelo México e entrem nos Estados Unidos. Devemos fazer disto uma condição do novo acordo sobre o Nafta”, afirmou Trump em referência ao acordo que os Estados Unidos renegociam com México e Canadá.

A imprensa americana informou na semana passada sobre a chegada à Califórnia de 50 membros de uma caravana de imigrantes centroamericanos que durante semanas percorreu o México e terminou oficialmente o percurso em abril na Cidade do México.

A caravana chegou a contar com 1.500 pessoas e, coincidindo com o seu avanço, Trump enviou à fronteira com o México a Guarda Nacional, um corpo de reserva das Forças Armadas que atualmente tem 900 membros na zona limítrofe, segundo dados da Patrulha Fronteiriça dos EUA.

A secretária de Segurança Nacional americana, Kirstjen Nielsen, publicou nesta segunda-feira um comunicado no qual respalda da porta-voz da Casa Branca, mas acrescenta que o governo está tomando uma série de medidas para garantir que todos os casos migratórios sejam resolvidos o mais rápido possível nos tribunais. (Fonte Agência EFE)