Evento marca 120 anos da Educação Adventista em solo sul-americano - Fato Amazônico

Evento marca 120 anos da Educação Adventista em solo sul-americano

Brasília, DF…[ASN] Para o doutor Jorge Maquera, líder da Educação Adventista no norte do Peru, a Educação Adventista só pode existir se é desenvolvida por professores adventistas e se é impulsinada por uma educação integral. “A história tem demonstrado que quando fazemos o possível, Deus fará o impossível”, comenta o professor.

O doutor Maquera concedeu uma entrevista à ASN justamente no momento em que acontece o I Congresso de Educação Adventista Online, nos dias 24 e 25 de abril para professores da rede em oito países sul-americanos e que alcançará cerca de 10 mil pessoas. O evento tem lugar na sede da Igreja para oito países da América do Sul e marca os 120 anos de história da Educação Adventista nessa região.

Maquera é mestre em Administração Educativa, com título outorgado pela Universidade Estadual de Campinas, em São Paulo, e tem um doutorado em Filosofia feito na Andrews University, EUA. É autor do livro “Operación Andes Libres – Construyendo la Utopía” (Operação Andes Libres – Construindo a Utopia). A obra relata com detalhes a história da Educação Adventista que começou em 1911, em Utawilaya, distrito de Platería, Puno, Peru. Na entrevista, o doutor Maquera falou um pouco sobre a história da Educação Adventista na América do Sul. Acompanhe.

ASN: Como, onde e quando começou a Educação Adventista na América do Sul?
Dr. Jorge Maquera: Existem diversas versões principalmente na Argentina e Brasil. Alguns atribuem que foi no ano de 1893, quando R.B. Craig e sua esposa chegaram a Argentina convencidos da eficiência da Educação Adventista; assim, junto com Ethel Tlircadgold, uma recém convertida ao cristianismo, abriram, em sua casa, em 1893, a primeira escola adventista no bairro de Barracas, em Buenos Aires, Argentina. As aulas eram dadas en inglês para os filhos dos empregados ingleses.

No Brasil a experiência na área educacional começou em 1896, em Curitiba, Paraná. O projeto foi iniciado por Guilherme Stein e sua esposa Maria que assumiram a função de professores. Os alunos se reuniam seis vezes por semana, começando na segunda e terminando no sábado com uma programação religiosa.

ASN: Qual o registro histórico de mais destaque referente a Educação Adventista na América do Sul?
Dr. Maquera: Consideramos que uma das experiências mais marcantes aconteceu no Peru. Este fato mereceu e segue merecendo o estudo de pessoas vinculadas a igreja e outros acadêmicos de todos os continentes. Literalmente a educação adventista no Peru começou com sangue e fogo. As histórias de pioneirismo, abnegação e sacrifício são exemplos que servem agora aos educadores para manter viva a chama do cumprimento da missão. Os nomes de Manuel Z. Camacho, Fernando Stahl, Pedro Kalbermatter, Eduardo Forga, Ana Carlsen e outros estão gravados na história como autênticos líderes que transformaram gerações. A história da Educação Adventista no Peru é destaque e motivo de estudo em nível mundial.

ASN: Como avalia a educação adventista na América do Sul desde o início até os dias atuais?
Dr. Maquera: Começamos de forma simples e desde o início foi possível observar que Deus estava no controle. Não tem sido nada fácil manter nosso sistema, mas graças ao compromisso de gente nobre e abnegada como são os milhares de professores e líderes, a rede agora está sólida e em franco crescimento.
Hoje nossa maior luta e resistência como sistema é contra o relativismo moral; esta corrente é uma da principais ameaças que enfrentamos, porém vemos com imensa alegria que nossos professores cheios de fé são verdadeiros baluartes, e ao lado de Cristo seguem de vitória em vitória.

ASN: Finalmente, Dr. Maquera, por que os pais de família devem confiar o futuro de seus filhos à rede educacional adventista?

Dr. Maquera: Existem várias razões para isso. Dentre as principais está o fato de que existe uma atmosfera espiritual em nossas escolas, nelas há a prática de uma disciplina redentora, se aprende a servir, os alunos crescem integralmente. A eles é ensinado sobre a Bíblia e a natureza. Além disso, os professores são competentes e se esforçam para praticar a excelência.

Dados importantes

Para acompanhar a programação do I Congresso de Educação Adventista Online, acesse ohttp://www.adventistas.org/pt/educacao/congresso-2015/, na sexta, 24, a partir das 19h, e no sábado, 25, a partir das 9h.

A Educação Adventista é uma das principais forças da Igreja Adventista. Atualmente conta com 870 instituições, 304 mil alunos e cerca de 20 mil professores em oito países da América do Sul. [Equipe ASN, Cárolyn Azo, com tradução de Márcia Ebinger]