A tradicional e influente família Albuquerque Lins deixou a pequenina cidade de Fonte Boa na longínqua barranca do alto Solimões para ocupar os mais proeminentes espaços de poder. Não por acaso – é claro -, mas por méritos incontestáveis, não é verdade? Ou não?

O certo é que, desde a “revoada” da simpática Fonte Boa para Manaus,  a digna e respeitável família dos irmãos Átila, Belão, etc. e tal, sempre ocupou a crista da onda nas três esferas do poder, sempre – ora no extinto Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), ora no Tribunal de Contas do Estado (TCE), no parlamento estadual e federal e no Executivo, também.

Em fevereiro deste ano, Belão (Belarmino Lins), o primogênito, reeleito para o oitavo mandato de deputado estadual, até que tentou garantir a hegemonia da família no comando da  Assembleia Legislativa mas foi devorado com a capacidade de articulação de Josué Neto.

E daí? Não conseguiu – todos sabem -, mas a família mesmo assim continuou forte e influente e num “piscar de olhos” emplacou no governo do paraense Wilson Lima a bela e elegante Maria de Jesus Lins Guimarães.

Maria de Jesus, conforme decreto assinado no dia 07 deste mês, publicação no Diário Oficial do Estado (DOE), foi nomeada para exercer o cargo de confiança de diretora da Habitacional da Superintendência Estadual de Habitação.

Para não esquecer: Maria de Jesus foi secretária de Direitos do governo do Negão – ele mesmo, o Amazonino Mendes. Lembram?