No terceiro final de semana seguindo o Fantástico, da Rede Globo, voltou neste domingo a veicular denúncias contra o prefeito de Coari, Adail Pinheiro, acusado de comandar uma rede de prostituição. Desta vez o programa trouxe interceptação telefônica da Polícia Federal, onde a diretora do hospital do município, implora a Haroldo Portela, por uma vaga para transferir para Manaus um bebê que nasceu com problemas cardíacos, mas não teve êxito em sua súplica.

A aeronave, fretada com verbas da saúde, deveria ser utilizado para carregar medicamentos e pacientes, mas estava sendo usada para transportar garotas para a uma festa particular de Adail Pinheiro.

Em outra escuta telefônica a ex-secretária de Assistência Social, Maria Lândia, fala ao prefeito de garotas que ela levará a Coari.