Com uma premiação total de R$ 10 mil, em dinheiro, às academias campeãs e a participação de mais de 840 atletas, a Federação Amazonense de Submission e Luta Livre Esportiva (Fasub) encerrou suas atividades anuais com a realização do 14º Campeonato Amazonense das modalidades. O evento, que contou com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), ocorreu durante o domingo (04/11), na Arena Poliesportiva do Amazonas (Amadeu Teixeira), localizada no bairro Flores, zona centro-sul de Manaus.

Maioria na quantidade de atletas inscritos, as crianças dominaram os tatames, disputando o título de campeão amazonense nas mais diversas categorias. À tarde foi a vez dos adultos competirem e lutar pelo mais alto lugar do pódio. Para o presidente da Fasub, Antônio Aleixo, o campeonato foi planejado com muito carinho e dedicação, para que todos os atletas e professores pudessem lembrar da importância de uma conquista estadual. “O Campeonato Amazonense é uma competição muito importante, pois aqui, o atleta luta para ser o melhor do seu Estado, junto a tantos outros que treinam todos os dias para serem cada dia mais bem sucedidos em sua modalidade. Buscamos ainda oferecer uma estrutura de ponta, para que todos possam se sentir prestigiados e valorizados. Nossas áreas de luta tem dimensões oficiais e, para o competidor, poder lutar em um ambiente assim é algo estimulante. Além disso, a luta livre é o esporte que mais cresce no Amazonas e hoje, somos o maior polo do do mundo na modalidade”, disse o presidente da Fasub.

Com apenas nove anos de idade, Johara Lima, da academia Sonic 3, conquistou o título amazonense em sua categoria. A atleta teve o primeiro contato com a modalidade submission em agosto deste ano e de lá não parou mais. “Eu sempre fiz jiu-jítsu e uma vez, um colega da minha academia me chamou para treinar submission e eu fui. Fomos treinando e visitando outros centros e meu irmão veio lutar também. Esse é meu segundo campeonato e estou gostando muito. Hoje fiz uma luta e no começo foi muito difícil, ela (adversária) me pegou pelo pescoço e eu achei que não ia dar mais para vencer, só que eu lembrei de uma forma de passar a guarda e consegui a vitória”.

Para o tio de Johara, Dirceu Loureiro, de 39 anos, o esporte tem contribuído muito no crescimento da atleta como pessoa. “É muito bom poder vê-la praticar um esporte que, além de melhorar sua saúde, faz com que ela aprenda valores importantes. Estava na torcida e a emoção é muito grande. Ela é muito perfeccionista, se não começar tudo certinho, às vezes ela trava, mas graças a Deus ela mostrou seu poder de superação e conseguiu ganhar a luta. Mesmo com a pouca idade, acredito que seu potencial vai muito longe. Seu pai e sua mãe não puderam estar presentes hoje, mas ela pode sempre contar comigo e, no que depender de mim, não vai faltar incentivo”, garantiu.

Borracheiro foi destaque do Sênior Leve

Há 18 anos praticando luta livre esportiva, o borracheiro Marcelino Cavalcante, de 36 nos, do CT Brunocilla, é um dos grandes nomes da modalidade na categoria Sênior Leve. Faixa preta do esporte, ele perdeu a invencibilidade de 12 anos em 2017, e para este ano, decidiu resgatar o título amazonense. “Participei de todas as competições em 2018 pela FASUB, e venci todas, graças a Deus. Neste último campeonato do ano, fiz duas lutas e conquistei o primeiro lugar em minha categoria. Procuro me esforçar ao máximo para ter bons resultados, até porque tento fazer o que gosto, então também luto MMA e tenho uns poucos amigos que me dão uma pequena ajuda de custo, então preciso fazer jus à confiança que depositam em mim e também é uma forma de buscar melhorias em minha carreira”, disse.

Premiação – A competição teve vários atletas e academias premiados. Para as categorias de peso, foram dadas medalhas aos três primeiros colocados. Já os atletas que ganharam a categoria Absoluto, receberam, além de medalha, um cinturão do evento. Para as academias que conquistaram a primeira, segunda e terceira colocação geral, foram distribuídos prêmios em dinheiro, nos valores de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil, respectivamente, bem como cinturões.