"Florencia en el Amazonas” marca terceira estreia do 21º FAO com enredo sobre artista amazonense - Fato Amazônico


“Florencia en el Amazonas” marca terceira estreia do 21º FAO com enredo sobre artista amazonense

A história dos viajantes do barco “El Dorado” pelo Rio Amazonas foi o enredo da terceira estreia do 21º Festival Amazonas de Ópera, na noite de sábado, no Teatro Amazonas. A ópera do compositor Daniel Catán, “Florencia en el Amazonas”, foi encenada pela primeira vez no Brasil e o público, de quase 500 pessoas, pôde acompanhar uma produção internacional, em parceria com a Colômbia, para contar a história da soprano Florencia Grimaldi, uma artista amazonense de sucesso que viaja a Manaus para encontrar seu grande amor.

O FAO 2018 é uma realização do Governo do Amazonas com patrocínio do Bradesco Prime – que celebra 10 anos de parceria com o festival –, incentivo do Ministério da Cultura (Minc) por meio da Lei Rouanet; além do apoio da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) e da Aliança Francesa.

Com estreia em 1996 e já encomendada pelas óperas de Houston, Los Angeles e Seattle, “Florencia” foi apresentada também em Nova Iorque, Boston, Heidelberg (Alemanha), Bogotá, México, Cincinnati, Denver, entre outras capitais no mundo, porém, ainda não havia sido apresentada no lugar que serviu de inspiração para a história: Manaus. No Teatro Amazonas, o público se impressionou com o barco El Dorado que se monta e desmonta durante os atos para apresentar o lado de cada personagem. A soprano Daniella Carvalho, que interpretou Florencia, afirmou que o público vai se impressionar a cada apresentação.

“Percebi uma emoção muito grande do público, parece que todos gostaram muito. Uma obra que fala de Manaus e com tanta vontade de que a história toque o público é muito importante, ainda mais com o o elenco tão talentoso e uma produção impecável. Quem vier vai se impressionar com tantos detalhes e surpresas desta ópera”, disse a soprano Daniella Carvalho.

O baixo Murilo Neves, que interpretou o capitão do “El Dorado”, também  ressaltou a emoção de apresentar uma ópera que tem o Amazonas como pano de fundo no 21º FAO. “É uma obra que fala de paixão, de ópera, de uma soprano que está indo a Manaus para se apresentar no Teatro Amazonas, então é uma emoção indescritível poder participar desta produção”, declarou.

O tenor Eric Herrero fez o sobrinho do capitão, Arcadio, que sonha em se tornar piloto e é atormentado pelo trabalho que faz, apresentando mais uma das histórias que se encontram com a da soprano Florencia Grimaldi no “El Dorado”. O solista ressalta a beleza e ao mesmo tempo a dificuldade de orquestrar a obra.   

“É de uma beleza e complexidade incrível e termos o maestro Luiz Fernando Malheiro, que sabe conduzir orquestra como ninguém, consegue exaltar toda a grandiosidade da obra. Estou muito feliz pela recepção do público e também por estar apresentando meu quadragésimo personagem com colegas e musicistas maravilhosos”, afirmou.

Público – Pela primeira vez no FAO, Renato Arache, 22, disse que teve uma experiência única na noite de sábado. “Nunca havia assistido a uma ópera e adorei. Fiquei sabendo pelas redes sociais e portais e minha mãe acabou me incentivando para vir. A partee que mais gostei foi quando todo o elenco canta junto no final da história, foi marcante”, comentou.

Letícia Malveira, 19, vem todos os anos para o FAO e disse que se impressionou com a produção de “Florencia en el Amazonas. “A experiência de hoje foi incrível. Ainda não tinha visto essa ópera e achei muito bem produzido, com cantores sensacionais, me emocionei bastante. Acho que o FAO só melhora com o tempo”.

A professora boliviana Martha Cabrejos, 84, também é veterana do FAO, acompanhando desde a primeira edição. Para ela, o festival e o Teatro Amazonas são símbolos mundiais da arte. “Amo a arte e este festival representa a arte mais sublime. O Teatro Amazonas não deve nada a nenhum outro teatro do mundo, e espero que as pessoas conheçam ainda mais este patrimônio”, declarou.

Ficha Técnica:

Florencia Grimaldi – Daniella Carvalho (soprano)

Riolobo – Homero Perez (baixo-barítono)

Rosalba – Dhijana Nobre (soprano)

Arcadio – Eric Herrero, (tenor)

Paula – Mere Oliveira (mezzo-soprano)

Alvaro – Inácio de Nonno (barítono)

Capitán – Murilo Neves (baixo)

Corpos artísticos: Coral do Amazonas e Orquestra Amazonas Filarmônica

Direção musical e regência: Luiz Fernando Malheiro

Direção cênica: Pedro Salazar

Figurinos: Olga Maslova

Cenários: Julián Hoyos

Desenho de vídeo: Michelle Ospina

Desenho de luz: Humberto Hernández

Festival Amazonas de Ópera – Neste ano, o Festival conta com a apresentação de cinco óperas: “Faust”, “Dessana Dessana”, “Florencia en el Amazonas”, “Acis and Galatea” e a estreia mundial “Kawah Ijen (Vulcão azul)”. Os ingressos estão disponíveis na bilheteria do Teatro Amazonas e no site www.aloingressos.com.br, com valores que vão de R$ 5 a R$ 60.

Durante a temporada de ópera, também acontecerão atividades paralelas nos centros de convivências, shoppings, nos municípios de Manacapuru, Iranduba (no distrito do Cacau Pirera) e em Novo Airão; além do “Ópera delivery”, que levará sessões exclusivas de trechos de obras à casa dos amazonenses, e do projeto “Ópera Studio”, da Escola Superior de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), que apresentará “La Boheme”, de Giacomo Puccini, no Teatro da Instalação.

Sobre o Bradesco Cultura – Com mais de 350 projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. Com apoio a eventos regionais, museus, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros.

A instituição tem, ainda, uma plataforma de naming rights com o Teatro Bradesco, que conta com unidades em São Paulo e Rio de Janeiro. Em 2018, já passaram pela Temporada Cultural do Bradesco as exposições Julio Le Parc, Mira Schendel e Hilma af Klint, o espetáculo Bibi Ferreira e o Lollapalooza Brasil. Estão em cartaz os musicais Peter Pan e Ayrton Senna, além de diversas atrações confirmadas ao longo do ano, como os festivais de Parintins, Tiradentes, a festa junina de São João do Caruaru, ArtRio, MIMO e MADE, entre outras.