Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As Fundações de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e de Medicina Tropical Dr Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), unidades da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), promoveram ontem (13/06), em Manacapuru, capacitação técnica em sarampo. A ação foi direcionada aos profissionais de saúde e de educação do município. Manacapuru tem 213 casos notificados da doença.

Um dos eventos reuniu 200 profissionais da rede de saúde local, no salão da Igreja Pentecostal Unida do Brasil, no bairro Biriri. O objetivo dessa capacitação foi prepará-los para o diagnóstico diferencial entre sarampo e outras doenças que apresentam os mesmos sintomas. 

“Alguns sinais e sintomas de pacientes suspeitos com sarampo são parecidos com outras doenças. Porém, o profissional de saúde precisa ficar atento para aqueles casos que apresentam, além da febre e exantemas (manchas vermelhas), tosse, coriza e conjuntivite. A doença é bastante contagiosa e sua transmissão ocorre de forma direta, por isso, é fundamental suspeitar e iniciar as medidas de controle imediatamente”, disse o diretor de Assistência Médica da FMT, o infectologista Antônio Magela, que ministrou o “Curso de Epidemiologia em Serviço”.

Para a agente de endemias de Manacapuru, Magaly Barros, o treinamento possibilitou nivelar a informação em toda a rede de saúde. “A nossa principal arma é a informação e esse momento nos proporcionou a possibilidade de tirar todas as dúvidas. Mais do que isso, com a explanação do médico, nós entendemos a real situação da doença hoje no Estado”, disse.

Educação –  Em outra frente, a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da FVS, Angela Carepa, que faz parte da equipe que está na cidade desde 7 de junho, reuniu cerca de 125 gestores municipais e estaduais da educação, para falar sobre a situação epidemiológica de sarampo vivenciada no município. “A educação é um parceiro importante para compor a força-tarefa de contenção do sarampo. Por isso, eles foram convocados e aceitaram o desafio de serem mobilizadores e multiplicadores de conhecimento. Cerca de 40% das notificações foram entre a faixa etária de 15 a 29 anos, muitos deles escolares”, revelou.

Ainda nesta quarta-feira, às 16h, professores e alunos da rede estadual e municipal, organizaram uma passeata de conscientização chamada “Dia D contra o Sarampo”, saindo da rodoviária, situada no boulevard Pedro Rates e a chegada na praça de alimentação, localizada na rua Ribeiro Júnior.

Segundo o coordenador Regional de Educação de Manacapuru, Paulo Itationa, a iniciativa busca chamar a atenção da população, principalmente, para aqueles que são considerados grupos de risco para doença. O evento contou com a participação da representante da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Delta Segadilha, que pediu a adesão de pedagogos e professores na conscientização em favor da vacinação contra o sarampo.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •