Fotos: Erick Bitencourt/Fato Amazônico
Compartilhe
  • 51
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    51
    Shares

O Garantido deu um banho de cheiro na galera vermelha e branca ao entrar na noite de sexta-feira (29) no bumbódromo. O boi da Baixa de São José começou o espetáculo com a toada “Eu nasci para ser vermelho” e Israel Paulain, levantou a galera na arquibancada. A comissão de frente da escola de samba Paraíso do Tuiuti, do carnaval do Rio de Janeiro, foi um dos grandes destaques da apresentação do vermelho e branco na arena. 

A primeira alegoria Celebração Folclórica Auto da Resistência Cultural faz homenagens a figuras importantes de obstinação cultural. A alegoria teve a participação da Rosa Vermelha do Garantido, Márcia Siqueira, que cantou de fato as três raças.

A história de resistência do guerreiro Ajuricaba, um tuxaua da tribo Manaó que preferiu se jogar no Encontro das Águas para se deixar carregar pela morte, ao invés de ser escravizado pela colonização portuguesa, teve destaque na Lenda Amazônica.

Da alegoria surgiu a ex-Rainha do Folclore, agora Cunhã-Poranga Isabelle Nogueira, que mesmo com problemas na alegoria, mostrou coragem ao andar pelos trilhos do módulo alegórico e chegar na plataforma de apresentação.

Já era madrugada deste sábado (30) quando o Boi Garantido deixou a arena. O boi da Baixa do São José hoje abre a segunda noite do 53º Festival Folclórico de Parintins.


Compartilhe
  • 51
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    51
    Shares