O governador Amazonino Mendes jamais arrumou a casa como tanto prometera, mas vai deixar uma dívida na saúde para o governador eleito

A farsa montada para desconstruir  governos anteriores – uma espécie de plano que serviria para oxigenar malfada reeleição de Amazoino Mendes – aos poucos começa a ser desmascarada pelos próprios bajuladores do poder.

A onerosa dívida acumulada com 15 empresas médicas e o pedido de socorro à Assembleia Legislativa para que esta remanejasse de outras fontes recursos para a Saúde é prova incontestável de que Amazonino Mendes jamais arrumou a casa como tanto prometera.

Do contrário as cooperativas médicas não estariam com dificuldade de caixa para pagar os seus cooperados. Somente neste sexta-feira, 16,  Chico Deodato, o “melhor secretário do mundo – só para o Amazonino Mendese -, acenou com a possibilidade de quitar  julho e agosto com o remanejamento de R$ 122 milhões para a Saúde permitidos pela Assembleia.

As demais vão cair no colo do governador eleito, Wilson Lima.

Em nota divulgada por Chico Deodato, ele diz que o pagamento de julho e agosto afasta a paralisação dos serviços prometida pelas empresas prestadoras de serviço na área de saúde para o estado.

Veja a nota