O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, rejeitou um eventual novo acordo com os Estados Unidos porque – assegurou – que aquele país descumpre seus compromissos e “ridiculariza os apelos pela paz”.

“Eles (EUA) descumpriram suas obrigações contratuais e enfrentam duas ações na Corte Internacional de Justiça. Aparentemente, os Estados Unidos apenas zombam dos pedidos pela paz”, escreveu Zarif, em sua conta oficial do Twitter.

O chefe da diplomacia iraniana também criticou que Washington descreveu o acordo nuclear multilateral de 2015 como “um acordo pessoal entre dois governos” e defendeu um tratado.

“Incorreto. É um acordo internacional consagrado em uma resolução da ONU”, lembrou Zarif, sobre o pacto assinado em 2015 entre Irã e seis grandes potências (EUA, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha) para limitar o programa atômico de Teerã, em troca do levantamento das sanções internacionais.

O presidente americano, Donald Trump, retirou no mês de maio os EUA do citado pacto e voltou a impor sanções econômicas contra Irã, levando Teerã a impor duas ações judiciais na Corte Internacional de Justiça.

Há dois dias, o representante especial do Departamento de Estado para o Irã, Brian Hook, disse que “o novo acordo” que espera assinar com Teerã “não será pessoal entre dois governos como o último”.

“Buscamos um tratado” que inclua os programas de mísseis balísticos do Irã e sua influência regional, os dois assuntos que preocupam Washington e que para Teerã são linhas vermelhas inegociáveis. (EFE)