Homenagens lembram vítimas do acidente de 28 de março - Fato Amazônico

Homenagens lembram vítimas do acidente de 28 de março

Flores, orações e um culto fizeram parte das homenagens organizadas pela Prefeitura de Manaus, neste sábado, 28, para lembrar as 16 vítimas fatais do trágico acidente de 28 de março de 2014, quando uma carreta e um ônibus chocaram-se na avenida Djalma Batista. As homenagens também foram uma forma de saudar e agradecer pela vida de quem sobreviveu à tragédia.

O primeiro ato foi no local da colisão, em frente à Universidade Paulista (Unip), onde sobreviventes e parentes das vítimas depositaram flores e trocaram palavras de saudade e solidariedade. Em seguida, um culto ecumênico foi realizado no Complexo Viário 28 de Março, na Torquato Tapajós, que recebeu o nome para marcar a data e como homenagem às vítimas.

Uma das 16 vítimas da tragédia foi Sebastião de Araújo. Ele deixou cinco filhos, todos presentes à homenagem e cheios de saudade. A filha Priscila de Araújo, de 20 anos, não escondia a dor ainda presente pela perda do pai. "Além dos filhos, ele deixou quatro netos. Lembro diariamente dele com muita dor, mas esse dia 28 de março está sendo pior", disse emocionada.

Irmã de Sebastião, Francisca Sales fez um apelo à população. "Não quero que aconteça com ninguém o que aconteceu com o meu irmão. Peço que todos tenham consciência no trânsito. A dor de perder alguém é muito grande".

O ato ecumênico no Complexo viário 28 de março foi conduzido pelo padre Charles Viana e pelo pastor Ananias Gomes. O cantor Célio Costa também participou da homenagem.

Ações intensificadas

Ao longo dos 12 meses após o acidente, ações no trânsito e relacionadas a ele foram intensificadas pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans).

A fiscalização eletrônica agora está presente em 30 pontos da cidade e é aliada nas ações de engenharia de trânsito da cidade. Outra medida foi a ampliação da Zona Máxima de Restrição de Circulação (ZMRC) para a avenida Djalma Batista.

A mesma avenida também recebeu defensas metálicas (guard rail), que devem ser instaladas ainda na alameda Cosme Ferreira, avenida Max Teixeira, av. Natan Xavier, av. Ivonete Machado, av. Cel. Teixeira e av. das Torres.

O diretor presidente do Manaustrans, Paulo Henrique Martins, destacou também o aumento de sinalização horizontal no último ano. "Em 2013 foram 60 quilômetros de sinalização horizontal. Em 2014, dobramos esse número para 120 quilômetros, dessa forma dando mais ênfase às faixas de pedestres", explicou.