Hospital Adriano Jorge integra projeto que avalia ampliação do horário de visitas em UTI - Fato Amazônico

Hospital Adriano Jorge integra projeto que avalia ampliação do horário de visitas em UTI

Desenvolver, conduzir e avaliar a eficácia do modelo de visita ampliada a pacientes internados em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) em todo o Brasil. Este é o objetivo do Projeto UTI Visitas, do Hospital Moinhos de Ventos, realizado em parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS). O Hospital Adriano Jorge, que é uma unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), passou a integrar este projeto e participa da Oficina UTI Visitas,  quinta e sexta-feira (23 e 24/11), em Porto Alegre, representado por quatro profissionais que atuam diretamente na UTI do hospital.  

Tradicionalmente, os horários de visitas em UTI são restritos a uma ou duas visitas por dia, com duração de até uma hora, com a justificativa teórica de que um tempo maior poderia aumentar o risco de infecção ao paciente. Dados recentes não confirmam este potencial de risco de adversidades associadas a uma maior presença dos familiares na UTI.

Além disso, evidências crescentes apontam para maiores benefícios das visitas tanto para pacientes (conforto, menor incidência de sintomas de ansiedade e depressão, menor incidência de delirium) quanto para familiares (maiores taxas de satisfação e menor incidência de sintomas de ansiedade e depressão).

A oficina discute e expõe dados de hospitais onde o Projeto UTI Visitas atua, além de debater as evidências em pesquisas já finalizadas, estrutura físicas das UTI, tempo de duração ideal para visita familiar e manejo da equipe assistencial para implementação da visita ampliada. Hospitais de todas as regiões do Brasil integram o projeto UTI Visitas.  

Período ampliado – Em setembro, quando o projeto foi iniciado no Hospital Adriano Jorge, os acompanhantes de pacientes internados na UTI permaneciam por até uma hora por dia. “O objetivo da visita ampliada, quando os acompanhantes passaram a permanecer até 8 horas com o paciente, é coletar dados sobre a qualidade, o tempo e a resposta de recuperação de cada paciente e o nível de satisfação dos familiares, já que estes também podem ter sintomas como depressão, ansiedade e outros”, destacou a diretora-presidente da FHAJ, Christianny Sena. “Ao todo, já integraram o projeto 25 pacientes internados em nossa UTI”, disse. A capacidade instalada da UTI da FHAJ é para 12 pacientes.

O Hospital da Fundação é referência para atendimento de média e alta complexidade a pacientes oriundos dos Prontos-Socorros da capital, interior do Amazonas e demais unidades de saúde da rede estadual.