Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O 21º Festival Amazonas de Ópera (FAO) tem a contribuição internacional da Indonésia, Portugal, Colômbia e França nas obras que serão apresentadas no Teatro Amazonas, entre os dias 28 de abril e 2 de junho. O FAO 2018 é uma realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), com patrocínio do Bradesco Prime – que celebra 10 anos de parceria com o festival –, além do apoio da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) e da Aliança Francesa.

Coprodução entre Portugal, Indonésia e Brasil, a ópera “Kawah Ijen” foi encomendada especialmente para o FAO, com libreto escrito pelo compositor João Guilherme Ripper, que já contribuiu na 18ª edição do festival, ao compor a ópera “Onheama”, baseada no poema “Infância de um guerreiro”, de Max Carpenthier. Além de contar uma história mística sobre um vulcão que expele lava azul, o gamelão vai trazer a sonoridade típica das ilhas da Indonésia, afinado especificamente para ser tocado em conjunto com a Orquestra Amazonas Filarmônica.

“Temos uma parceria de muito tempo com o Brasil, na agricultura, na área militar, mas esta é a primeira vez em que teremos um instrumento no Festival Amazonas de Ópera”, exalta o embaixador da Indonésia, Toto Riyanto. “Além disso, sobre um vulcão que faz parte dos mitos e histórias do meu país. Fico muito feliz e espero que o gamelão seja apenas o começo das parcerias culturais com o Amazonas”, declara.

Produzido na ilha de Jacarta e enviado para Manaus pelo Governo da Indonésia, o gamelão é formado por uma série de xilofones, gongos, tambores, metalofones e será operado por percussionistas portugueses especializados no instrumento, em uma parceria com o Governo de Portugal. A ópera “Kawah Ijen” terá estreia no dia 27 de maio.

Colômbia – Encomendada pelas óperas de Houston, Los Angeles e Seattle, a produção colombiana “Florencia en el Amazonas” foi apresentada também em Nova Iorque, Boston, Heidelberg (Alemanha), Bogotá, México, Cincinnati, Denver, entre outras cidades.

A obra conta a história da soprano Florencia Grimaldi, que parte em uma viagem de Letícia para Manaus, a fim de encontrar seu grande amor, Cristobal, que mora na capital amazonense e se apresenta no Teatro Amazonas. Porém, Cristobal, que é um pesquisador de borboletas, desaparece na floresta, o que traz surpresas na viagem pelo Rio Amazonas.  

Para a montagem da ópera, os figurinos e elementos do cenário, como o barco no qual Florencia viaja e telões de projeção, serão enviados da Colômbia. A ópera do mexicano Daniel Carán estreia no dia 18 de maio.

“‘Florencia en el Amazonas’ conta uma história épica sobre o Estado que já rodou o mundo e será apresentada pela primeira vez na região que inspirou a ópera. Teremos uma produção em conjunto com a Colômbia para criar toda a atmosfera da viagem de Florencia Grimaldi no palco do Teatro Amazonas”, destaca o diretor artístico do FAO e maestro Luiz Fernando Malheiro.

França – Para a ópera “Faust”, de Charles Gonoud (1818-1893), baseada na obra de Johann Wolfgang von Goethe, a França estará presente na voz da soprano Isabelle Sabrié e também com integrantes do Coral do Amazonas, que tiveram aulas com o Instituto Aliança Francesa para cantar a ópera de Gonoud. Para a apresentação no Teatro Amazonas, foi montado um elenco internacional, que conta com o tenor italiano Alessandro Luciano, barítono uruguaio Marcelo Guzzo e mezzo-soprano espanhola Anna Gomà. 

“‘Faust’ é uma das óperas mais amadas de todos os tempos, não é encenada no Brasil desde 1972 e se inscreve dentro da programação do bicentenário do compositor Charles Gonoud”, comenta Isabelle Sabrié, que interpreta Marguerite.

“Para alcançar a qualidade de excelência internacional para a ópera, temos, pela primeira vez, uma parceria com a Aliança Francesa, com aulas para os cantores do Coral do Amazonas, para que eles possam obter o sotaque parisiense necessário para a interpretação”, conta a soprano. “Temos um elenco de muitíssima qualidade, com profissionais que já interpretaram ‘Faust’ pelo mundo e uma direção cênica belíssima do talentoso André Heller-Lopes”.

A ópera conta a lenda do Doutor Faust, que vende a alma ao diabo para voltar a ser jovem e conquistar a bela Marguerite, por quem é apaixonado. “Faust” abre a programação do 21º FAO no dia 28 de abril. O festival seguirá até o dia 2 de junho com programação também no interior do Estado.

Festival Amazonas de Ópera

Este ano, o Festival contará com a apresentação de cinco óperas:  “Faust”, “Dessana Dessana”, “Florencia en el Amazonas”,”Acis and Galatea” e a estreia mundial “Kawah Ijen (Vulcão azul)”. Os ingressos estão disponíveis na bilheteria do Teatro Amazonas e no site www.aloingressos.com.br, com valores que vão de R$ 5 a R$ 60. 

Sobre o Bradesco Cultura

Com mais de 350 projetos patrocinados anualmente, o Bradesco demonstra que acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. Com apoio a eventos regionais, museus, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros. A instituição tem, ainda, uma plataforma de naming rights com o Teatro Bradesco, que conta com unidades em São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Em 2018, já passaram pela Temporada Cultural do Bradesco as exposições Julio Le Parc, Mira Schendel e Hilma af Klint, o espetáculo Bibi Ferreira e o Lollapalooza Brasil. Estão em cartaz os musicais Peter Pan e Ayrton Senna, além de diversas atrações confirmadas ao longo do ano, como os festivais de Parintins, Tiradentes, a festa junina de São João do Caruaru, o São João de Campina Grande, ArtRio, MIMO e MADE, entre outras.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •