A Defesa Civil do Amazonas colocou, na quinta-feira (25/10), as cidades de Itamarati e Guajará, ambas na calha do Juruá, em Situação de Emergência por conta da estiagem. Os municípios, que vêm apresentando vazante acentuada desde o mês de setembro, passam a integrar o cronograma de atendimento do órgão estadual.

“Só nessas duas cidades, 76 comunidades foram atingidas pela estiagem. Nossos técnicos já analisam o levantamento de famílias afetadas, para que possamos atender a população que já contabiliza prejuízos”, disse o secretário da Defesa Civil do Amazonas, Fernando Pires Júnior.

Monitoramento – Itamarati já registra 1.363 famílias afetadas pelo desastre. A cidade, que tem como referência Eirunepé para medição do nível do rio, apresentou no dia de hoje 6,75m. A menor cota foi em 1995, quando o nível chegou a 1,43m.

Em Guajará, que tem 849 famílias prejudicadas pela estiagem, a medição do nível do rio é tomada como base a cidade de Cruzeiro do Sul no Acre, que hoje apresentou 5,99m. Faltam 3,79m para alcançar a mínima histórica de 2,20m registrada em 1995.

Iranduba – Em reunião nesta semana com representantes de diversas secretarias municipais de Iranduba, como Ação Social, Meio Ambiente, Infraestrutura, Abastecimento, Educação, Agricultura e Saúde, a Defesa Civil do Estado prestou esclarecimentos quanto ao levantamento de danos humanos e sociais provocados pela estiagem na cidade. Em um levantamento preliminar da Prefeitura, 1.202 famílias já estão afetadas em 18 comunidades. Como responsável legal pela primeira resposta ao desastre, o executivo municipal deu início à distribuição de água potável em algumas comunidades.

Alerta estiagem – Alguns municípios já apresentam subida significativa do nível dos rios e, por isso, saem da “Situação de Alerta” por estiagem, como a calha do Madeira (Humaitá, Manicoré, Novo Aripuanã e Apuí), que normalizou e apresenta processo regular de vazante.

Também deixa a condição de Alerta a calha do Alto Solimões (Atalaia do Norte, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Tonantins, Amaturá, Tabatinga e Santo Antônio do Içá), que vinha passando por processo crítico de vazante, principalmente em Tabatinga, e agora registra subida do nível do rio, indicando o fim da vazante acentuada.

Permanecem em Alerta por estiagem as cidades de Envira, Eirunepé e Carauari, na calha do Juruá e ainda Boca do Acre, Canutama, Lábrea e Pauini, no Purus.