Nesta terça-feira (23/10), Juremir Machado da Silva se demitiu ao vivo após acompanhar uma entrevista de Jair Bolsonaro à rádio Guaíba, de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O jornalista tomou a decisão por ter sido impedido de fazer perguntas ao candidato do PSL, o que definiu como “censura”.

“Nós podemos dizer que o candidato nos censurou?”, questionou o profissional, ao fim da ligação.

Em resposta, Rogério Mendelski, apresentador que comandou a entrevista, negou: “Ele disse que falaria somente comigo. Não tem censura”.

Contudo, o radialista não se conformou com a explicação e deu adeus aos colegas de trabalho. “Eu achei humilhante e, por isso, estou saindo do programa. Foi um prazer trabalhar aqui por 10 anos”, disparou, deixando o estúdio.

Jurandir Soares e Voltaire Porto também estavam presentes e, assim como Juremir, não puderam se manifestar durante a conversa. Segundo Mendelski, o político nem sequer sabia da presença dos outros três.

Vale ressaltar que a estação de rádio em questão pertence ao Grupo Record. Recentemente, Edir Macedo, que é dono da empresa, declarou apoio a Bolsonaro. (FAMOSIDADES)