José Melo não decolou a tempo porque Omar Aziz não empinou a - Fato Amazônico

José Melo não decolou a tempo porque Omar Aziz não empinou a

Por Jonas Santos – A indefinição de Omar Aziz (PSD), antes de deixar o cargo, pode ter atrapalhado a decolagem do governador José Melo (PROS), para a sua reeleição. O ex-governador demorou demasiadamente a se decidir se renunciaria para concorrer ao Senado. Esse fator agora está pesando na conta. Resumindo toda a ópera: Melo não decolou a tempo porque Omar não empinou a curica.

Omar bem que poderiater aliviado a carga para o seu companheiro Melinho se tivesse batido o martelo há ao menos seis ou cinco meses, antes de passar o comando do Estado, no dia 04 de abril, para o então vice-governador. Por causa disso, Melo ficou na sombra de Aziz, todo esse tempo, no prazo limite quando mais precisava ganhar robustez na sua pré-candidatura.

O ex-governador poderia tê-lo colocado na linha de frente para que a marca Melo ganhasse vento, simpatia, musculatura e aliados de peso para enfrentar um adversário que lidera as pesquisas para o governo: Eduardo Braga (PMDB).

O próprio Omar fala agora na escolha de um candidato do grupo. Mas ainda não é o Melo? Tudo isso prejudica a candidatura do professor.

A última cartada agora será conseguir o apoio político do prefeito de Manaus, Artur Neto. O próprio Omar foi escalado pelo grupo para conversar com o tucano. Se Artur decidir em apoiar Braga ou então ficar neutro, em cima do muro, ou seja, não apoiar ninguém aí a situação tenderá a piorar para José.

Há duas semanas, Omar já havia dado pressão em Waldemir Santana, presidente Estadual do PT. O partido entregou os cargos que tinha no governo do Estado e deverá anunciar neste sábado, dia 17, o apoio político para as eleições. E tudo está desenhado que a adesão será para a pré-candidatura do senador.

O ex-governador não fez o dever de casa (sua decisão de apoiar Melo deveria ter acontecido ao menos em outubro de 2013) e agora poderá pagar um preço alto. Mas, afinal Braga e Aziz romperam mesmo? Essa resposta acontece na sexta-feira (16), quando o ex-governador assina aliança com o José Melo.