O deputado federal José Ricardo (PT) reuniu no sábado (8) com representantes dos diversos setores da sociedade amazonense para ouvir propostas e sugestões que contribuirão para suas ações e lutas na Câmara Federal. A iniciativa é uma postura que ele já adota desde o mandato de vereador passando pelo de deputado estadual, porque entende que o parlamentar é um fiscal do povo e deve legislar com compromisso e prestação de contas, defendendo os direitos da coletividade. Durante o encontro realizado no auditório da Escola Normal Superior da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), o parlamentar recebeu centenas de propostas importante para o desenvolvimento do estado. Dentre elas,  a proposta de criação do Projeto de Estruturação adequado no departamento de Anatomia Patológica da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecom), para dar mais celeridade no diagnostico de câncer, apresentada pelo médico patologista da FCecom, Maiko Ramos Maia.

José Ricardo, já vem realizando conversas com representantes dos povos indígenas, professores, profissionais da saúde, sindicatos de trabalhadores e entidades de empresários e realizará ainda outros encontros em alguns municípios estratégicos do interior do Estado, além do diálogo constante com o próprio partido para a construção da pautas que defenderá na Câmara Federal, o planejamento e a prestação de contas devem ser uma constante para que possamos estar bem próximos dos anseios da população.

Durante o planejamento deste sábado, ele fez uma breve prestação de contas dos oito anos de mandato como deputado estadual. Destacou algumas de suas ações, principalmente área dos Direitos Humanos, comissão que presidiu por 4 anos na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). “Atuamos num mandato participativo e sempre convidamos as entidades a participar dos nossos encontros e debates. As sugestões e propostas que recebermos construirão as nossas pautas de lutas contra todos os retrocessos e em defesa dos direitos da população”, destacou José Ricardo.

Para Lorisval Pereira, representante do Sindicato dos Agente de Endemia (Sindagente), o mandato federal de José Ricardo deve atuar, sobretudo, na defesa da saúde do Estado, pois a situação é alarmante e precisa de uma intervenção imediata do Governo Federal. Ele sugeriu a criação de uma Frente Parlamentar para acompanhar e fiscalizar os recursos destinados à saúde, como também os serviços prestados pelas unidades de saúde do estado do Amazonas. “Estamos vivendo um caos na saúde e é preciso mudar essa situação alarmante que tanto prejudica a população. Por isso, esse frente parlamentar é importante”, sugeriu Lorisval e concluiu parabenizando José Ricardo pela iniciativa, algo que, segundo ele, é novidade, uma vez que a maioria dos parlamentares se elegem e não dialogam com a população para construção de seus mandatos.

Camilo Assunção da pastoral social da igreja católica, que atua nas atividades voltadas às crianças e adolescentes em  situação de risco, sugeriu que o mandato proponha projetos também na área do esporte, cultura e educação, especialmente na área da zona Leste de Manaus, voltados para esta faixa etária, pois na localidade existem muitos jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

O representante da Associação dos Professores e Pedagogos de Manaus (AspromSindical), Lambert Melo, apresentou várias propostas na área da educação. Dentre elas, a elaboração de um  projeto equivalente ao  Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), mas corrigindo as falhas do atual, já que em 2020 ele será extinto, conforme previsto em lei. Porém, no caso de não haver a possibilidade de um novo projeto, que José Ricardo lute na Câmara Federal para que o atual Fundeb continue ainda por muitos anos, uma vez que o que os recurso do fundo tem contribuído consideravelmente com o desenvolvimento da educação no Brasil, sobretudo aqui no Amazonas.

Além disso, ele sugeriu a apresentação de uma proposta de emenda constitucional retirando das escolas a situação de cargos de confiança na gestão de órgão públicos, especificamente os cargos de direção das escolas, e que passe a ter concursos para esses cargos. “Essa prerrogativa acaba prejudicando o desenvolvimento da educação, pois muitos não tem experiência e nem competência para gerir, ou seja, sem condições de executar um bom trabalho”, disse.

Já o ex-vereador Waldemir José, sugeriu que o mandato do deputado José Ricardo atue na defesa do satélite geoestacionário, criado durante o Governo Lula, o qual atenderia as necessidades de acesso aqui no Amazonas, mas foi privatizado ano passado pelo governo Temer. Ele julga importante esse satélite para nossa região já que contribuirá tanto com a saúde, quanto a educação do Amazonas, principalmente no interior do estado.

Na conclusão dos trabalhos, José Ricardo afirmou que acatará todas as propostas e realizará um estudo para ver a melhor forma de executar as propostas e sugestões apresentadas. Ele destacou ainda que seu mandato terá muita luta pela frente com a redução e congelamento dos recursos da União para as áreas prioritária como a saúde, a educação e a segurança.

Além dos representantes já citados, o planejamento contou com a participação da Cáritas Arquidiocesana, do Movimento Comunitário Vida e Esperança (MCVE), do Sares, da Fundação Cecon, da Fundação Alfredo da Mata, do Hospital Universitário Francisca Mendes, da Fundação Hemoam, do Conselho Municipal de Saúde (CMS), do Movimento dos Trabalhadores em Saúde (Mots), do Movimento de Rádios Comunitárias, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Arquidiocese de Manaus, Conselho de Economia do Amazonas (Corecon), Movimento Estudantil da UEA. Além de representantes dos municípios de Manicoré, Urucurituba, Santa Izabel do Rio Negro.