A palavra de ordem do presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PSD) para este ano de 2014 é agenda positiva. Mesmo com a casa enfrentando desde o início dos trabalhos legislativos questões polêmicas como o pedido de uma CPI para investigar as denúncias de pedofilia no Amazonas, e com parlamentares envolvidos em processos na justiça, o presidente quer manter o ritmo intenso alcançado em 2013, “que resultou em números recordes de proposições analisadas”.

Para ajustar a máquina legislativa e definir a agenda positiva para o primeiro semestre do ano, o presidente Josué Neto já convocou uma reunião com todos os deputados para a próxima quarta-feira (12). “Na terça-feira discutiremos o pedido da CPI, que será protocolizado e na quarta-feira faremos uma reunião com os deputados para acertar a agenda dos trabalhos da casa, além de outros assuntos que precisam ser tratados de forma coletiva”, disse.

“Em 2014, nós esperamos um ano onde o trabalho que compete à Assembleia Legislativa, que é o de legislar, de fiscalizar e apoiar o Executivo, algo que nós temos feito com muita maturidade e tranqüilidade, continue no mesmo ritmo positivo do ano passado”, avalia Josué Neto. Para o presidente, esse trabalho envolve ainda a necessidade de o poder estar mais próximo da sociedade e de discutir e encaminhar as demandas da população.

Em matéria legislativa, o presidente Josué Neto voltou a destacar a tramitação do Código de Ética Parlamentar, que deverá entrar em pauta ainda nesta primeira quinzena de fevereiro, para ser apreciado em plenário, onde o texto original poderá sofrer emendas, devendo ser aprovado ainda no primeiro semestre. Josué Neto informou que as 13 mensagens do Executivo encaminhando projetos, vão ser colocadas em votação assim que completar os três dias de pauta, como manda o Regimento.

“Eu acho que esta semana vai ser de muitas matérias e posições importantes, abrindo a agenda positiva na casa, mostrando que a Assembleia Legislativa tem trabalhado em favor da população. Os números de 2013 foram recordes, onde mais de 1.200 proposições foram analisadas, e 70% delas foram aprovadas. Além disso, todos os deputados tiveram as melhores condições para exercer um bom mandato e nós vamos continuar nesse ritmo com a ajuda de todos os deputados, se Deus quiser”, reafirmou.